segunda-feira, 19 de fevereiro de 2018

EGOLATRIA: O MAL DA NOSSA ERA

EGOLATRIA: O MAL DA NOSSA ERA

Não terás outros deuses diante de mim (Êxodo 20:3) com esse mandamento, quero apenas fazer uma denuncia com muita tristeza, pois que durante todos esses anos de fé, o que tenho presenciado dentro da cristandade, é um numero incontável de pessoas que abandonaram os ídolos de pedra e de madeira, para transformarem o próprio ego num ídolo e adorarem a si mesmas. Tais querem impor suas opiniões nas Escrituras, interpretá-las de acordo com seus caprichos, querem ser o centro do universo religioso, possuem uma fome devoradora por vanglória e aplausos dos homens, talvez seja essa a pior forma de idolatria, pois adorando a si mesma, a alma ególatra, acaba carregando dentro de si todas as amarguras do cálice das malignidades. A sombra sinistra desse ídolo, domina todo o templo do homem interior. Ele é uma extensão de todos os abismos. Por trás de muita espiritualidade aparente, o que esconde é esse sentimento sinistro de ostentação e orgulho, próprio de um coração que deseja ser mais do todos, que quer ser o centro do culto, da religião. Essa tentação infernal é uma semente devastadora que contamina muitos, e o perigo ainda é maior quando se trata de lideres religiosos. Hoje há uma idolatria generalizada por títulos, e por infelicidade há quem esteja disposto a financiar essa infâmia, defendendo seus idolos com unhas e dentes. Cristo passa ser apenas um nome, pelo qual se usa, para fins egoístas. A santa Palavra de Deus é apenas usada como o diabo usou na tentação, fora do contexto, sem exegese verdadeira, sem compromisso com a verdade no seu todo. Sei o quanto isso é desagradável, mas há tantos ídolos nas religiões modernas, mas o mais terrível de todos é o ego endeusado pela própria pessoa. Eu já convivi com gente assim, ergueu dentro de si um altar de Caim, para colocar como oferta a sopa de lentilhas de Saul.' Esses nichos internais, escondidos nas profundezas do coração são tão abomináveis como eram os de Baal, Astarote Milcom e Quemós. Talvez a enfermidade espiritual de Balaão tenha contaminado esses corações imprudentes, pois que a conveniência e os interesses pessoais são incompatíveis com uma fé integra e um ministério santificado. Desde Adão, o homem colocou a si mesmo como o centro de todas as coisas, tudo o mais deve gravitar em torno a fazer funcionar seus desejos e satisfazer suas concupiscências. É gritante a situação de almas nessas condições tão deploráveis,lendo as Escrituras, não encontraram no ministério do Senhor Jesus, um modelo de humildade e mortificação do ego, tão sublime exemplo de humildade parece ser estranho aos homens modernos, revestidos de uma religião superficial sem essência de verdadeiro cristianismo.É lamentável, que haja tantas pessoas nessas condições obscuras, ainda que pareçam brilhar no palco religioso, são estrelas errantes. A sentença terrível que cairá sobre os idolatras pode ser observada nas Escrituras: Os idolatras serão lançados no lago de fogo (Apocalipse 21:8)

Clavio J. Jacinto.

A FONTE DE TODA PERMANÊNCIA.

A FONTE DE TODA PERMANÊNCIA.
Brilhe em nós a esperança
A luz de toda a bondade
A lampada da compaixão
Brilhe a voz de um sorriso
O sol de uma paciência
Brilhe o amanhecer de cada prece
A estrela de cada misericórdia
A chama de viva do amor
Brilhe como prisma de diamante
O fulgor de nossa fé
Mas acima de tudo, brilhe sobre nós
O rosto de CRISTO.
Porque sem ELE, todas as nossas luzes
Se apagam....
Clavio J. Jacinto

A MORTE DA SENSIBILIDADE



Bem aventurado os que choram porque eles são consolados (Mateus 5:4). Essa é a era da aridez, da falta de sensibilidade, o hedonismo e o narcisismo infectou a humanidade, e nós cristãos não choramos mais. Somos uma seara seca, um deserto sem oásis, um leito de rio adormecido no deserto da indiferença. Não choramos pelas crianças que morrem ainda no útero de suas mães, assassinadas pela pratica do aborto, não choramos pelos fracassados, por aqueles que agora mesmo se encontram num leito de enfermidade, suspirando a dor por causa do diagnostico de doença mortal que receberam, não choramos pelas mães enlutadas, pelos órfãos e pelas viúvas desamparadas. Nossa fé se corrompeu, virou simbolo de diversão e entretenimento. O mesmo mandamento que manda nos alegrar com os que se alegram, manda também chorar com os que choram (Rm 12:15) Mas estamos chorando? choramos quando Deus é ofendido e blasfemado? choramos quando nossas crianças são expostas a sensualidade e a sacralidade da nossa família é profanada? choramos por cada cabeça de cristão decepada, por causa da fé em Cristo? Como ousamos não derramar lagrimas por aqueles que derramam o próprio sangue pelo evangelho?Choramos por causa dos órfãos e das viúvas e marginalizados? assistimos a igreja perseguida com as nossas lagrimas perante o trono da graça? choramos quando a desventura chega ao próximo, ao vizinho solitário, ao enfermo sentenciado a viver o resto da vida no fundo de uma cama, choramos? Somos enganados pelo mundo, a televisão promove a desgraça alheia como um meio de diversão, a mídia promove a iniquidade como fonte de alegria e o pecado como um meio infame de dar felicidade aos mortos. A tragedia torna-se cômica na arte diabólica, E nós choramos por isso? A palavra choro em Mateus 5;4 é patheuntos, significa também luto e lamento, é uma palavra profunda, própria dos sensíveis, dos cheios do Espirito Santo. Mas estamos chorando? há motivos para choráramos muito. Devemos chorar por cada escândalo contra o evangelho, por cada cego arrastado pelos falsos profetas, por cada desviado, devemos chorar pelos pagãos não alcançados, pelos missionários em dificuldades, pelos países com as portas fechadas para o evangelho, mas estamos tão ocupados com a nossa religião anestésica, que não temos mais sentimentos, estamos quase em estado cadavérico, não há lagrimas no recinto da nossa alma, perdemos a visão real do mundo, vivemos as fantasias produzidas por nosso ego, e por causa disso a nossa alma se secou e nossa sensibilidade ficou estéril. Voltaremos as fontes das lagrimas? este é o caminho dos bem aventurados, dos cheios do Espirito Santo. "Deus enxugará dos olhos todas as lagrimas"(Ap 21:4)

Clavio J. Jacinto. Este é um trecho de uma série de palestras dada na capela do Centro Missionário Nova História em Paulo Lopes, todas as terças informações: WhattSapp (48) 99831 5702...


Leia tambem : http://claviojacinto.blogspot.com.br/2018/02/a-morte-das-lagrimas.html

Footer Left Content