sábado, 15 de dezembro de 2018

Obras e Graça


O caminho da graça e da verdade, é viável para os humildes de coração. Nosso grande problema é tecer todo um vestido de justiça própria com adornos de nossos méritos, para tentar convencer a todos de que somos religiosos aperfeiçoados por uma moral sofisticada e boas obras lapidadas por nosso zelo ritualístico. Tais atitudes levam o homem a auto-idolatria. Raro é voce encontrar um homem santo que confere a Cristo todos os méritos da salvação. É verdade! a graça não é compreendida pela maioria das pessoas que professa a fé cristã, é  uma luta tremenda negar-se a si mesmo e confiar na obra perfeita e consumada de Cristo. Precisamos nos aproximar mais e mais da obra de Cristo, depender mais e mais da graça de Deus que se manifestou em Cristo para a nossa salvação.


“Todos os meus trabalhos são marcados pelo pecado e pela imperfeição. Quando penso em todos os atos que já fiz para Deus, só posso gritar: Oh, Deus, perdoa a iniquidade de minhas coisas santas ”. Jerry Bridges, em: O Poder Transformador Do Evangelho

Cristo era Perfeito?

Um erro comum hoje em dia, é atribuir a Cristo uma natureza pecaminosa. Acreditam alguns que Cristo de fato assumiu uma natureza de pecado. Essa confusão é fruto de uma falta de atenção sobre o que a bíblia diz a respeito de Cristo. O fato é que Cristo era completamente perfeito e santo, do começo até o fim da sua vida terrena, da manjedoura até a cruz, da sua ressurreição até sua ascensão, e assim será eternamente como foi antes (João 8:58) . Cristo veio na plenitude dos tempos (Gálatas 4;4) “Mas corpo me preparaste” (Hebreus 10:5) por ter sido gerado pelo Espírito Santo, foi totalmente santo. Se Cristo não nascesse e vivesse debaixo de uma natureza completamente santa, então seria igual a Adão depois da queda, pelo fato de ser gerado pelo poder de Deus como foi Adão antes da queda, tem o corpo puro, igual Adão antes de cometer pecado. Por isso ele é chamado de o ultimo Adão (I Coríntios 15:45) porque a vida de Cristo era perfeitamente santa em todos os sentidos, não possuía a natureza pecaminosa, possuía a natureza humana tal como era antes do pecado “E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós, e vimos a sua glória, como a glória do unigênito do Pai. Cheio de graça e de verdade” (João 1:14 compare com I Timóteo 3;16) que Ele era puro e santo, não contaminado com o pecado, se faz notório esse fato, porque não há variações na sua natureza perfeita “Jesus Cristo é o mesmo, ontem, e hoje e eternamente”(Hebreus 13;8). Ora Ele é perfeito e puro agora, assentado a destra de Deus (Hebreus 1;3) como foi noutro tempo quando nasceu e veio a este mundo (Lucas 2:1 a 20)
Cristo é perfeito, puro, imaculado, do começo ao fim da sua vida manteve essa natureza santa. Veio para morrer por nós (João 12:27) Segue que havia um tipo espiritual aplicado ao cordeiro da expiação, deveria ser sem mancha (Êxodo 12:5) isso aponta para a perfeição do cordeiro de Deus. Assim Ele pode aniquilar o pecado pelo sacrifico de si mesmo (Hebreus 9:26) assim como a sua obra é consumada e perfeita, porque não somente o sacrifício foi perfeito, mas também era Aquele que se deu em sacrifício. (Hebreus 7:28) Assim, é notável que Jesus Cristo tenha uma característica tripla para entregar-se como oferta voluntaria em uma expiação por nossos pecados: deveria ser Santo, Inocente e Imaculado (Hebreus 7:26) Note que esses três aspectos abrangem o homem na sua totalidade. Homem algum depois da queda pode chegar a esse estagio de ser simultaneamente Santo, Inocente e Imaculado. Só Cristo, porque Ele é perfeitamente puro, sempre foi e sempre será! Assim, o Novo Testamento brada com um testemunho solido e inquestionável “Como um cordeiro Imaculado e incontaminado” (I Pedro 1:19) note mais uma vez que há uma ênfase dupla: Imaculado e Incontaminado, ou melhor: Completamente puro e perfeitamente santo. Da sua vida, reflete a sua natureza perfeita: “Não cometeu pecado, nem na sua boca se achou engano” (I Pedro 2:22) Portanto é mui exato considerar que foi feito sua encarnação segundo a virtude da vida incorruptível (Hebreus 7:16) Não há qualquer duvida, a obra foi consumada e perfeita porque Cristo era completamente perfeito (Hebreus 10:10). Ainda que vivendo por mais de trinta anos entre os mortais pecadores, o Verbo que se fez carne viveu uma vida perfeita, com uma natureza humana perfeita, e isso atesta as Escrituras com toda a força de expressão “Em tudo foi tentado, mas sem pecado’(Hebreus 4:5) “E nele não há pecado” (I João 3:5) Que Cristo tomou os nossos pecados, obtendo uma eterna redenção, porque através de uma sentença de morte, tomou o nosso lugar, e numa morte substitutiva, cumpriu a penalidade que era totalmente nossa, levando completamente a maldição de nossos pecados sobre si (Gálatas 3:13) “Levando ele mesmo em seu corpo os nossos pecados sobre o madeiro, para que, mortos para os pecados, pudéssemos viver para a justiça; e pelas suas pisaduras fostes sarados” (I Pedro 2:24) O crédito da redenção oferecida pela morte de Cristo na cruz está no fato de que ele era perfeitamente santo em todos os aspectos. “Mas este, havendo oferecido para sempre um único sacrifício pelos pecados, está assentado a destra de Deus” (Hebreus 10:12)

Autor: Clavio J. Jacinto

Sacrificio


Coração Vazio


Evangelho e Avareza


Linha Certas


Em Santa Humildade

Pelo caminho da mais santa humildade, o Cordeiro de Deus veio como um homem perfeito, viveu uma vida perfeita, morreu em um sacrifício perfeito, obteve uma vitoria absoluta, está preparando uma morada perfeita, voltará na consumação das eras, esse será um um retorno para trazer verdadeira justiça aos homens, e aqueles que creem nesses fatos, estão vivendo dia após dia uma perfeita esperança. (Clavio J. Jacinto)

Footer Left Content