sexta-feira, 29 de janeiro de 2016

Vivendo com Sabedoria

  




1-   Nunca lamentes pelo tempo que já passou, mas agradeça a DEUS por todo o tempo que você já viveu.
2-   É a intimidade com o Cristo ressurreto, que produz as mais ternas doçuras espirituais.
3-   Não existe um fim pelo caminho da esperança, apenas um percurso melhor que o outro
4-   Quanto menos possuirmos do mundo, mais possuiremos do céu, quanto menos possuirmos do céu, mais possuiremos do mundo.
5-   O amor é a luz do amanhecer, que faz um relacionamento sincero tornar-se um verdadeiro esplendor.
6-   O amor é uma sensível flor que desabrocha sempre no coração que cultiva a esperança
7-   Que o amor seja o refugio seguro de toda a alma peregrina que deseja viver com intensidade
8-   A verdadeira beleza só pode enxergar o coração que está iluminado pela glória de Deus.
9-   Deixe Deus escrever a tua história, só assim ela será tão eterna, quanto seu autor.
10-              Cristo o verbo, se fez carne por nós, essa é a plenitude da humildade.

Clavio Juvenal Jacinto

quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

O EVANGELICO FORA DA MODA





“Se voce está a procura de uma religião que o deixe confortável, definitivamente eu não lhe aconselharia o cristianismo”
C. S. Lewis

“Quem quiser seguir a pós mim, tome a sua cruz, negue-se a si mesmo e siga-me”
Jesus Cristo

 Ser “evangélico” hoje, está na moda, isso é evidente, que a religião evangélica oriunda do protestantismo está na moda. O neopentecostalismo não somente promove essa novidade, mas também tem sido o principal multiplicador do esfacelamento do cristianismo. Estamos vivendo uma verdadeira confusão. Mas tenho certeza disso: ser evangélico é a moda do momento. Por esse crucial motivo, existe o evangélico da moda e o evangélico fora da moda. Me chamou a atenção minha ultima viagem de uma para outra cidade aqui em minha região, vi as margens da estrada, a novidade do momento, outrora era um deposito ou uma fabrica, agora na fachada, uma nova denominação, um novo “ministério” ou como diz a minha esposa “mais uma...” Quando cheguei no meu destino, na rua em que entrei, quase de frente uma a outra, mais dois novos “ministérios”, o movimento  neopentecostal pulverizou, esfacelou a igreja evangélica moderna, pensar logicamente de acordo com as escrituras, me levou a conclusão de que isso não é um “mover do Espírito Santo” porque se fosse, haveria muita unidade e não muitas divisões. (I Corintios 1:10 a 13 e Judas 1:19) A pulverização dos evangélicos é a prova conclusiva de que não é o Espírito Santo quem está promovendo todas essas divisões e todas as inovações doutrinarias estranhas as paginas do Novo Testamento.
O evangélico moderno existe, porque a raiz do problema se encontra em parte no movimento pentecostal brasileiro, que deu toda a ênfase aos dons, e ignorou quase que completamente o fruto do Espírito Santo. O misticismo e a má teologia também cooperaram na consequência dessa confusão religiosa. Assim, um erro evidente, ficou a tona: desde que alguém manifeste qualquer tipo de experiência metafísica, isso é uma prova definitiva de que é um verdadeiro cristão! Esse é um erro cujas consequências são enormes. Como podemos ver hoje. Assim uma geração de insubmissos, carnais, promotores de engano, mercantilistas, egocêntricos, irreconciliáveis, egoístas, incultos, rebeldes, tem emergido do cenário da confusão, criando assim novos “ministérios”. Criando um perfil definitivo para o evangélico da moda, este é um religioso excêntrico em busca constante de experiências emocionais. (Mais amigos dos deleites do que de Deus II Timóteo 3;4 e amigos do mundo I Joao 2;15)  A ênfase seria unir o util ao agradável, criar uma religião nova, que seja tanto cristã quanto mundana.  Uma espécie de reformulação dos conceitos cristãos antigos, um abandono à ética neotestamentaria, para criar uma religião psicológica e emotiva, totalmente alicerçada no misticismo, não na teologia e na sã doutrina, não nos ensinos de Cristo, mas na experiência de uma metafísica doente, completamente alheia aos ensinos das escrituras.  Alguns meses atrás, ouvi em alto e bom som, um fundador de um desses “ministérios” neopentecostais modernos, ele afirmou, que  pessoalmente não estava interessado em estudar a bíblia, mas em ser cheio do Espírito Santo, essa declaração mostra as aberrações dessa nova religião, a moda do dia, uma rejeição as escrituras, ora devemos entender que um cristão cheio do Espírito Santo, é antes de tudo um cristão cheio da verdade das escrituras, porque a Bíblia declara que o Espírito é a verdade (I João 5:6)
As ramificações multiplicadas de forma tão desordenada no neopentecostalismo não deveria ser classificada como crescimento da igreja cristã. Essas ramificações multiplicadas, tem por evidencia causar divisões no corpo de Cristo, promover confusão doutrinaria, promover o misticismo, o humanismo, a antropolatria (culto a personalidade) a psicologia, o transe psicodélico,a hipnose, o que se oferece hoje é um espaço para um pecador tornar-se um “evangélico” sem precisar passar pelos processos exigidos nas escrituras: arrependimento dos pecados, conversão, regeneração, santificação, separação do mundo, piedade com contentamento não conformismo com esse século etc.(II Corintios 5:17, Efesios 4:17 a 32 etc) Ao invés disso, usa-se um ardil religioso, estratagemas versáteis, pregações e musicas antropocêntricas, misticismo experiencial, ritmos musicais e condições ambientais para produzir hipnose, transe e sentimentos de bem estar.  Tudo isso traça um perfil dessa nova moda religiosa. Assim entendemos que do evangélico da moda, se exige apenas a fidelidade as reuniões, dízimos e ofertas e submissão cega ao seu líder (Quase sempre sem nenhum fundamento teológico e bíblico para exercer uma liderança espiritual).  Um evangélico moderno, qualquer um pode ser, tudo é permitido, você pode ter ídolos como cantores e pregadores, pode ser sensual e promover o erotismo, pode banalizar o casamento, o evangélico da moda, continua assistindo o Big Brother Brasil, continua comprando e não pagando, joga no jogo do bicho, megasena e loterias e quer ficar rico, ainda mente, trapaceia, imita atores de novelas, usa roupas apertadas e sexy, para eles, não há nada de errado com o errado. O pecado é banalizado e o egoísmo é promovido.transformaram a graça de Deus em dissolução(Judas 1:4)Para o evangélico da moda, a fé cristã é uma festa, não uma batalha (Judas 1:3 com II Timoteo 4:7) o evangelico da moda é promotor dos artistas gospel , pregadores e cantores de famas que cobram cachês enormes para fazerem seus shows, transformando santuários em danceterias,e ambientes inspirados em casas noturnas, o evangélico da moda quer pular e se emocionar, não se santificar e obedecer, não quer se submeter a nenhum tipo de mortificação, não quer em hipótese alguma ser considerado como um estrangeiro nesse mundo.(Hebreus 11:14, Filipenses 3;20 e I Pedro 2:11) Na mística degenerada do evangélico da moda, é inaceitável ser diferente do mundo, pois isso soa como algo terrivelmente antiquado e radical. O grande engano esta em uma confiança cega, eles estão sentido uma experiência metafísica e mística às vezes muito agradável, sinal que supostamente comprovaria  que o Deus das Escrituras, opera no nível da mais extrema carnal idade, da mesma forma que opera em  um ambiente dramaticamente consagrado. Estão resolutos, de que o misticismo experiencial é uma prova que corrobora a aprovação divina. Assim, usam o pragmatismo, os fins justificam os meios. O que vale é a experiência, não a sã doutrina, o evangélico da moda foi atraído pelo hedonismo, não sofrer mais, pelo materialismo, ficar rico, pela mágica de ter todos os seus problemas resolvidos. Os defensores dessa nova religião, argumentam que o evangélico da moda não deve abandonar todos os pecados, só alguns. Não deve ser muito santo, para não tornarem-se fanáticos e legalistas, basta serem um pouco santo e um pouco carnal. Assim, as mulheres, por exemplo, não são incentivadas a imitarem as mulheres santas do passado, isso seria muito radical e opressor, imagine, as evangélicas da moda imitando as esposas dos grandes pregadores do passado! Imagine as evangélicas modernas imitando as irmãs do movimento puritano! Imagine as evangélicas da moda imitando a modéstia da Suzana Wesley, mãe de John Wesley! Isso nunca! Seria radical de mais! Preferem imitar Marilyn Monroe, sexy, sensual e erótica. Com o rosto carregado de maquiagem pesada, preferem imitar as atrizes de novelas diabólicas da globo, ou as atrizes carnais de Hollywood, as santas mulheres do passado foram muito legalistas,na concepção da nova religião evangélica, por isso para os evangélicos da moda, a referencia moral são os cantores e as cantoras de funk, as atrizes e os atores que promovem o adultério e banalizam o casamento, que usam roupas extravagantes, sensuais, custas e apertadas, a referencia é o próprio mundo.(Romanos 12:1 e 2) Eu repito; o evangélico da moda é um religioso excêntrico em busca de experiências emocionais. Não está interessado na verdade, nem em obedecer às escrituras, ou é um escravo da sua própria opinião, ou é manipulado pela má teologia dos outros. Vive e defende  cegamente uma religião que promova  suas vaidades. O evangélico da moda nãoé conduzido,  para a obediência as escrituras,mas para a permissividade produzida por uma graça estranha as paginas das escrituras. (Judas 1:4 com Tito 2:11 a 15) Por isso há tantos apóstolos, tantos pastores, tantos visionários, tantos artistas de púlpitos, tanta gente brincando de religião, fazendo coisas espantosas e ridículas, a ignorância as escrituras é a mãe de todas as heresias.Tudo isso fez emergir da cristandade uma geração de religiosos que misturam a sensualidade com a espiritualidade, ao invés de separar o sagrado do profano, misturaram ambos para vivenciarem de forma extrema a religião do prazer de não negarem-se a si mesmos.(Oseias 11:7). A força da carne portanto produz fortes sentimentos de uma espiritualidade espúria, mas que é inegavelmente muito parecida com experiências espirituais autenticas.
O cristão fora da moda
Eu resolvi ser um evangélico fora da moda, eu e minha esposa, e tenho lutado para que minha família seja também de evangélicos fora da moda. Isso tem sido muito difícil, minha esposa tem cabelos longos e roupas que caracterizam sua distinção  (Não concordo com a moda andrógina) eu por exemplo, não faço presença em ambientes de banhos públicos, porque lá é o meio caminho da pornografia. (Apocalipse 16:15) Abandonei o sensacionalismo, resolvi ser diferente do mundo, a levar a serio as exortações e os ensinos das escrituras(Tito 2:1) como líder espiritual, resolvi fazer da minha ocupação, um ministério sem qualquer fim lucrativo, também resolvi, que sempre que tivesse  oportunidades em púlpitos(estão cada vez mais raras) falar sobre o pecado e arrependimento, fazer exposição das sagradas escrituras, e pregar sobre todo o conselho de Deus, (Atos20:27) tudo o que está fora da moda, eu resolvi pregar; a doutrina da cruz, a abnegação, a modéstia, a mortificação da carne, a vigilância integral, a piedade com contentamento, a tribulação que produz um peso de glória, a ilusão do mundo, o pudor, tenho pregado sobre outros assuntos de não menos importância, sem me importar com as consequências, resolvi não ser um líder que olhasse para as pessoas, como se fossem mercadorias, mas como almas preciosas, resolvi pregar o Cristo justo salvador, hoje advogado,amanhã juiz, um Cristo que ama, mas que também não se associa nem tampouco aprova  o pecado. Isso tem sido muito difícil, ser evangélico fora da moda, me fez um ser quase que alienígena na sociedade, taxado de radical, quadrado, antiquado, legalista, fanático, duro, puritano,etc. Mas de fato eu resolvi, mesmo a custa da solidão. Troquei meus hábitos literários, não  leio Benin Hinn, mas Jonathan Edwards, não mais Mary Baxter, mas Spurgeon, não mais escritores da geração “evangélicos da moda”  mas J. C. Ryle, Robert Culver, John Owen, não mais Hagin, mas Tozer, Richard Baxter, Horatius Bonar, Steve  Gallagher etc. Resolvi ser evangélico fora da moda, sem assistir Big Brother, novelas televisivas, estou sempre alheio a essas coisas, não sei quem é o campeão do campeonato brasileiro de futebol, pouco me importei com Copa do mundo, porque sei da politicagem mundana que envolve essas coisas. Não sei quais são os temas, das atuais novelas, Sou evangélico fora da moda, sempre me lembro das palavras de John Owen: “Se os cristãos fazem questão de imergir no mundo para aprender seus modos e ser dirigido por suas opiniões, serão carregados com eles para a perdição eterna” Sim, lembro-me sempre da exortação de Watchman Nee: “Se alguém crê no coração, mas não tem nenhuma atitude exterior, o mundo ainda o considerará parte dele”. Por estar fora de moda, as vezes tenho um sentimento de ser rejeitado pela cristandade, não sou um pregador popular, tenho que conviver com pessoas que não querem ouvir aquilo que Deus tem a dizer,(pelas escrituras Proverbios 13:13) pois estão a procura daquilo que elas querem ouvir. Tenho caminhado para uma vida de recolhimento intelectual, decepcionado com direção que a igreja evangélica brasileira tomou. Resolvi amar mais a bíblia, me apegar aos preceitos sagrados, estudar com mais dedicação, aplicar seus ensinos na minha vida, praticar seus conselhos. Viver a minha, ter cuidado de mim mesmo e da doutrina(I Timoteo 4:16)e ficar restrito ao púlpito da minha igreja, com uma parcela reduzida de cristãos fora da moda, que ainda querem ouvir algo substancial e real extraído das escrituras. Em um mundo religioso onde ser fora da moda, é optar pela rejeição do mundo e dos que estão associados a ele, até que o Senhor venha, o caminho é solitário. Porem, prossigo para o alvo...
Uma palavra final: Sei que existem homens de Deus sérios, igrejas serias e ministérios sérios, comprometidos com as escrituras, mesmo nesse cenário de confusão, creio em fanais em meio a cristandade apontando o caminho da cruz do Salvador, para levar as almas perdidas ao Salvador crucificado e ressurreto. Creio que muitos ainda são vozes solitárias em meio a esse turbilhão de vozes confusas e sem sentido. Creio no poder do Espírito Santo em reconduzir tanta gente confusa para um aprisco seguro, onde o evangelho não é negociado, mas proclamado, onde ainda há culto e não shows, onde Deus é o centro da adoração, não o homem, onde ainda há a unção de Deus e não técnicas psicológicas. Creio ma igreja do evangelho, e no evangelho da verdadeira igreja.

De todas as calamidades que têm visitado o mundo, a rendição do espírito humano a este mundo presente e a seus caminhos são, sem sombra de dúvida, a pior de todas.
A. W. Tozer


Pr Clavio Juvenal Jacinto

terça-feira, 26 de janeiro de 2016

Cristo: Desde os tempos antigos





Serie Preexistencia de Cristo Parte II

O cordeiro que foi morto desde a fundação do mundo (Apocalipse 13:8) aqui temos uma passagem mui profunda, que por ter suas complexidades teológicas, pode nos levar as mais nobres dificuldades de uma interpretação clara do que o texto quer dizer. Ela deve ser lida e interpretada de acordo com outros textos que tratam do assunto. Encontramos em I Pedro 1;20 lemos a respeito de Cristo: “O qual, na verdade, em outro tempo foi conhecido, ainda antes da fundação do mundo, mas manifestado nestes últimos tempos por amor de vós” Em Hebreus 9:26 encontramos essas palavras: “Doutra maneira, necessário lhe fora padecer muitas vezes, desde a fundação do mundo, mas agora, na consumação dos séculos, uma vez se manifestou para aniquilar o pecado pelo sacrifício de si mesmo”. Outra passagem que quero anexar a esse assunto, é I Coríntios 10;4, porque ali Paulo fala que a pedra que seguia ao povo judeu no deserto, durante a peregrinação era Cristo. Juntando todas essas informações, de forma indireta, já encontramos a preexistência de Cristo. Uma atenção mais dedicada aos textos nos mostra que buscar uma prova dessa doutrina é algo muito coerente. Pedro nos diz que Cristo foi conhecido, lá no passado, Paulo diz que a pedra era Cristo, o autor aos Hebreus afirma que Ele padeceu muitas vezes, desde a fundação do mundo. Algo Esta claramente implico nessas passagens. Cristo estava lá, se dissermos que foi somente de forma simbólica, essa interpretação foge ao texto de I Pedro 1:20 e I Coríntios 10:4, porque Paulo não disse que a pedra simbolizava Cristo, mas era Cristo, e também Pedro afirma que Cristo era conhecido antes da fundação do mundo. Está claro que por essas palavras, que além do símbolo, estava a presença real. Como entendemos isso? Basta um pouco de coerência lógica! A pedra era realmente a pedra, mas Moisés ao tocar a pedra, vertia água. Não era Moisés quem estava fazendo um milagre, mas a presença de Cristo.  Como a progresso da revelação se amplia com o passar do tempo, vimos como o poder de Cristo fez verter água da rocha no Antigo Testamento, sendo que no Novo Testamento seu primeiro milagre foi transformar água em vinho, e então pregar que ele mesmo era a água da vida, e isso foi lá junto a mulher samaritana, assim vimos como a benção da redenção está associada a água, que de uma forma geral está amplificada nas paginas do Novo Testamento e no ministério do Salvador. Desde a fundação do mundo, porque só pode conceder uma salvação eterna, que tem a eternidade, só pode nos conceder uma redenção sem fins de dias, quem não teve começo de dias, porque a dimensão da redenção deve estar implícita na própria natureza do redentor.  Que a redenção alcança todas as eras, não há duvida nenhum, prefigurada nos sacrifícios do Antigo Testamento entendemos claramente esse fato, porém, muito mais do que o símbolo da redenção, a própria essência do redentor deve estar lá também. Porque entendo assim? Porque uma presença espiritual também é uma presença real, Jesus disse que estaria conosco até a consumação dos séculos (Mateus 28:20) isso é evidente: que se sua presença espiritual e real se estende para o futuro, desde a sua ascensão aos céus, então porque essa presença também não se estende ao passado, se Jesus mesmo declarou ser “Eu Sou”? Além disso, ao declarar sua presença espiritual, isso nos leva para uma lógica ainda mais ampla: sua onipresença. Jesus afirmou ”onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, ali estou eu no meio deles”(Mateus 18:20) A onipresença de deus, creio eu, não é somente estar presente em todos os lugares, mas estar presente em todo o tempo e em todas as eternidades (passado, presente e futuro). Fica claro que a presença de Cristo nos tempos antigos, revela que ele estava de fato lá.  Não somente a sombra das coisas vindouras, porque a sombra sempre é o resultado de uma realidade presente. Só existe sombra se o real projetar a sua própria presença, isso seria uma maneira razoável de entendermos a preexistência de Cristo, porém expressões positivas com as de Pedro, que afirma que Cristo foi conhecido ainda, antes da fundação do mundo, reforça o fato de que a preexistência de Cristo é um fato bíblico. Ele estava lá no antigo Testamento, e muito antes da Criação, de forma simbólica, pelas sombras e tipos, mas não somente através dessas coisas, mas em realidade sendo Ele redentor, estava realizando a redenção desde a fundação do mundo, estava efetuando uma eterna redenção, diz as escrituras, ora se a redenção tem qualificações eternas, (Hebreus 9:11 e 12) sua presença estava lá, nos tempos antigos.

Pr Clávio Juvenal Jacinto 

segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

Livro A Biblia Responde


A Biblia Responde é um livro em formato Pdf que o pessoal responsavel pela site "Internautas Cristãos" oferece gratuitamente para todos os que se inscrevem para receber noticias dos posts da pagina na caixa do Email. Então vai lá se inscreva e faça download desse livro interessante.



Evdereço da Website:

http://www.internautascristaos.com/receba-gratuitamente

sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

Mundanismo e Vida Espiritual



Quanto mais um cristão se identifica com o mundo através de seu estilo de vida, seja no vestir, no falar, nos seus negócios, na sua linguagem, na sua cosmovisão da vida, mais ele vai se parecer um mundano, cada um fica parecido com o que de fato está servindo. A confissão nunca molda um caráter santo em pessoas que age contrario aos princípios de Deus.

Se você vai a uma reunião cristã, para ouvir o que o seu coração deseja ouvir, meus pêsames, teus sentimentos são um equivoco perigoso. O único interesse pelo qual um verdadeiro cristão vai aos cultos, é para ouvir aquilo que Deus tem pra falar, por intermédio de um pregador completamente comprometido com a sã doutrina

Alguns pregadores argumentam, que não devemos pregar contra o pecado, porque isso afasta as pessoas de Deus. Essa idéia aberrante, nada mais é do que liberalismo disfarçado de religião cristã. A pregação contra o pecado, faz com que um ouvinte decida se deixa o pecado, para relacionar-se com Deus, ou omite-se de servir a Deus para obedecer o pecado. Não existe qualquer relação entre Deus e pecado, para sermos intimos de um, o outro precisa ser completamente abandonado

Vivemos a era da sensualidade, a sensualidade dominou o mundo e invadiu a igreja, e então, como podemos definir tudo isso? senão como uma apostasia moral dos evangelicos. Veja bem, Jesus disse que o simples desejo de olhar e desejar uma mulher, no coração se comete adulterio com ela (Mateus 5:28) . Então raciocinamos: Quando uma mulher que se diz cristã usa roupas coladas e sensuais, quando mostra suas partes intimas, usando roupas curtas ou anda semi-nua em lugares publicos (praias e lugares de banho publico), a imagem que ela transmite aos olhos carnais é um caminho pro céu ou para o inferno?


Clavio J. Jacinto

A DUPLA PRIMOGENITURA DE CRISTO



Série a preexistência de Cristo 
Parte I 


Em Colossenses 1:15 Jesus é chamado de primogênito de toda a criação e em 1:18 é chamado de primogênito dentre os mortos.  Nesses dois textos do primeiro capitulo de Colossenses, vamos encontrar a dupla primogenitura de Cristo, primeiro Ele é primogênito de toda a criação, porque ele é chamado assim? Porque Cristo foi o Criador que se tornou criatura. Veja bem essa questão, porque todas as outras religiões, antigas ou modernas, tendem a divinizar a criatura, mas só o cristianismo ensina que o criador se transformou em criatura. (O Verbo se fez carne). Porque o cristianismo crê em um Deus acima de todos os outros deuses? Porque na concepção dos outros teólogos de outras religiões, a divindade nunca poderia ter sido criatura, sem perder a sua plenitude de divindade. Mas o Deus do cristianismo é o Deus do impossível. Nas outras religiões essa divindade é limitada pela sua própria criação, mas o cristão entende que o Criador tem completo domínio sobre a criação que Ele criou, então é possível que o Verbo se fez carne (Sem pecado) Argumentam os religiosos céticos “Isso é impossível!” mas Jesus refuta “Para Deus nada é impossível” ( Lucas 1:37) ) Se Ele é o primogênito de toda a criação, devemos entender que Ele foi o primeiro a se sujeitar a lei da matéria viva sem herdar a corrupção adâmica.  Portanto aqui está a base da nossa fé, Jesus se fez carne (Criatura) tornou-se 100% homem, sem, contudo deixar de ser Deus em sua completitude, então Ele torna-se o primogênito de uma criação perfeita, Ele mesmo se sujeitando a isso, para que todos os redimidos tenham o direito plenitude de existência (Filipenses 3:21) Sendo Jesus o primogênito de toda a criação, vimos também que Ele é primogênito dentre os mortos. Cristo morreu pelos nossos pecados, e  como Ele só pode ser primogênitos dentre os mortos, vivendo antes de sua morte de Cruz, sendo primogênito de toda criação, é lógico afirmar que Ele também teria que ser antes, um ser perfeito, para poder submeter-se a condição de ser o primogênito de toda a criação. Ao usar essa palavra “Primogênita” nunca que o Espírito Santo quis dizer que Cristo é o primeiro que vem de uma inexistência para uma existência, pelo contrario, significa que sai de uma condição perfeita de criador para assumir uma perfeita condição de criatura. A dupla primogenitura de Cristo nos ensina coisas maravilhosas. Como primogênito dentre os mortos, Cristo revela que venceu a morte, na área teológica e pratica entendemos que a morte de Cristo na Cruz não foi somente redimir o homem, mas destruir aquilo que destrói o homem, Cristo aniquilou o que tina o império da morte (Hebreus 2:14) é primogênito porque foi o único que ressuscitou em corpo glorificado. A plenitude da lei de Lavoisier é plena na ressurreição de Cristo, “Na natureza nada se cria, na se perde, tudo se transforma” Pelo fato de Cristo ser o Verbo que se fez carne sem pecado, sua transformação pela ressurreição, foi perfeita, a morte não aniquilou Cristo, aniquilou o efeito do pecado, não aniquilou a Cristo, aniquilou o que tinha o império da morte, não aniquilou a pessoa de Cristo, aniquilou a maldição imposta sob Adão. Então o que vimos na ressurreição não é algo completamente mítico, mas cientifico, real, verdadeiro. Não é de admirar que Cristo volte ao seu trono, depois da ressurreição, a ascensão veio depois da ressurreição, em seguida a entronização, e depois a volta triunfante, não como o verbo na humilhação, mas como O Alfa e o Omega. Mas devemos entender que a dupla primogenitura de Cristo, atesta sua perfeição, sua divindade e a sua preexistência como Filho de Deus.


Pr Clavio Juvenal Jacinto

quinta-feira, 21 de janeiro de 2016

Gratis Obras Completas de John Wesley

As obras completas de John Wesley em Espanhol, 14 VOLUMES, faça o download no endereço abaixo





http://metodistascr.org/recursosbiblico/index.html

quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

Mananciais de Sabedoria



1- O silencio é um manancial de sabedoria para o homem santo.

2- Nada inquieta tanto um homem, quando descobre que uma vida sem Deus é uma ilusão passageira

3-Um coração Nobre nunca será um coração pobre, um coração pobre nunca será um coração nobre.

4- Nada pode ser tão elevado quanto uma devoção sincera feita por um coração redimido.

5-A dificuldade é uma porta que a fé pode abrir para que milagre possa entrar

6- Não há maior alicerce espiritual do que a confiança incondicional em Deus.

7- Seja amigo de Cristo, Ele é o unico que pode te acompanhar através do vale que separa essa vida da outra vida.

8- A alma  que abraçou com todas as forças de afeto, o Deus das causas impossiveis, já preparou o caminho para vivenciar milagres.

9- O contentamento cristão é a essencia para a verdadeira felicidade.

10- A humildade é a guardiã da verdadeira sabedoria.


Pr Clavio Juvenal Jacinto

Conselhos Espirituais



1- Um coração corrompido, afeta tragicamente toda a visão espiritual

2-Se uma palavra fora do tempo não vale nada, uma no tempo certo pode valer tudo.

3- Nunca permitas que as coisas temporais tenham um poder maior, para que as eternas são sejam removidas.

4- Aquilo que é precioso merece sempre o nosso amor, nosso zelo, nossa guarda e nossa tenção.

5-Sejamos humildes, porque o orgulho é um veneno que mata todas as nossas virtudes.

6- Se tens luz no coração, as pessoas que caminharem ao teu lado serão abençoadas com a tua presença

7-O coração sábio e puro é mestre em valorizar e preservar aquilo que e eterno.

8-Que a tua vida cristã seja como as flores, que atarem e cativam, sem qualquer esforço.

9-Onde o amor não flui com poder, a felicidade não desabrocha com constância.

10- Muitas pessoas querem brilhar como as estrelas, mas querem viver na terra como o monturo.


Clavio Juvenal Jacinto

Desafios da Fé Cristã






1-No exercício do verdadeiro apostolado, não é o interesse próprio que interessa, mas o interesse do próximo.

2-Geralmente enfrentamos maiores batalhas dentro e não fora de nós mesmos

3- Não existe melhor travesseiro do que uma consciência tranquila quando confrontada com a palavra de Deus.

4-Problemas muitas vezes são inevitáveis, o que podemos escolher é não tomarmos decisões erradas quando somos confrontados com os problemas.

5- A glória de Deus não existe para ser disputada com o orgulho dos homens, se queremos ser orgulhosos, Deus não estará nesse negocio.

6- Se você permite que a vontade de Deus seja concretizada em ti mesmo, terás a força necessaria para expandir a própria vida.

7-Nunca devemos amar a s coisas erradas, nunca devemos detestar as coisas certas.

8-Se deixares Deus lapidar a sua vida, mesmo que seja com tribulações, no final, voce será uma obra prima da redenção.

9-Pense Muito, para enxergar com sobriedade e decidir com coerência

10-A vida é um perpetuo aprendizado, quem para de aprender, parou também de viver.

Clavio Juvenal Jacinto

segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

Dez Fatos Sobre a Caminhada Cristã

O caminho da santidade é o caminho mais solitário, porque os pecadores não andam por ele, o caminho da santidade porém ´e o único caminho em que o homem pode andar lado a lado com Deus...

As vezes precisamos ter ousadia de sermos felizes com Deus somente, pois a maioria do homens só serão teus companheiros, na estrada da ilusão

A cruz não é para todos, nela você encontra Cristo que te convida a seguir após ele, não os homens que negam a Ele com suas ações.

É muito fácil ser ateu, você não precisa de nada para ser ateu,o grande desafio é crer em Deus, reputa-lo com Santo, e moldar toda a existência pessoal de acordo com essa fé.

Muitos seguem o caminho da fé pelo interesse próprio, raros são aqueles que seguem a Deus pelo Caminho do interesse de Deus.

Andamos por fé, não pela fé que nos conduz a ignorância dos fatos, pela fé que o ilumina nosso coração para as mais concretas evidencias.

A ressurreição de Cristo é fato consumado no tempo, que intercala a vida presente e a eternidade, é essa conexão que garante a nossa imortalidade.

Todos queremos seguir Jesus por um caminho que não custe o sacrifício da nossa vida, por isso o homem inventa um outro Jesus, para segui-lo por um outro caminho que não seja o evangelho.

A senda do Calvario foi uma abertura no espaço e no tempo, e por ela renunciamos a nossa própria opinião, para seguirmos firmes por um Caminho que Deus estabeleceu.


Nunca é tão perigoso o caminho em que ao invés de ser orientado pelas escrituras o cristão passa a ser orientado pela sua própria experiência.

Clavio Juvenal Jacinto

As Aflições Produtivas



Uma das passagens mais magníficas dos escritos de Paulo, relacionados ao sofrimento, é II Coríntios 4:16. Nessa passagem encontramos o ensino precioso de que a nossa leve e momentânea tribulação produz um peso de glória mui excelente. A bíblia ensina claramente que existe uma tribulação produtiva. Essas aflições e tribulações permitidas por Deus tem um valor incalculável para o desenvolvimento do caráter, o aprimoramento do nosso relacionamento com Deus e para enriquecer a nossa experiência espiritual. Porém, há uma corrente hedonista e humanista dentro do cristianismo, que promove a cultura do hedonismo, estamos sendo bombardeado teologicamente por ensinos corruptos, de que o crente tem que viver uma vida paradisíaca aqui nesse mundo, desfrutando de saúde, longevidade, longe de problemas, usufruindo de bens matérias e muita fartura. Essa ideia permeia todo o cristianismo moderno, e é o motivo que faz tanta gente abraçar o cristianismo como religião. Mas isso é uma heresia. Jesus advertiu que no mundo teríamos aflições (João 16:33) abrimos as paginas do Novo Testamento e as paginas da historia da igreja dos primeiros séculos e vimos como o sofrimento e a tribulação moldou a igreja recém formada. A tribulação produtiva, é algo extraordinário para a nossa vida cristã. Nunca deveríamos fugir das coisas que deus permite que venha até nós, para promover o crescimento espiritual. E é isso que a tribulação produtiva faz! Quando Deus permite que passemos por dificuldades. Quando andamos pelo caminho certo, fazemos as coisas certas, mas as coisas difíceis vem ao nosso encontro, a dor, o sofrimento e as tribulações, devemos estar certos de que o Senhor quer  nos dar lições preciosas, aperfeiçoar o nosso caráter, produzir em nós um peso de glória mui excelente. Tais coisas não chegam até nós por vias normais, no conforto e num estagio de vida livre de problemas. A tribulação vem como um dínamo que produz energia para a fé, força para a esperança, e nos ajuda a incrementar uma vida de intimidade e devoção a Deus. Para o homem espiritual, a tribulação não o afasta de Deus. Quantas pessoas abandonaram a Cristo porque passaram por momentos difíceis e tribulações intensas em suas vidas. Elas olharam para a situação e lamentaram “fiz tudo certo, não mereço passar por essa tribulação”. Não perceberam, ou ainda não foram ensinadas desde cedo, que o Senhor muitas vezes usa a tribulação para alcançarmos um nível de espiritualidade maior, muitas vezes Deus usa a tribulação para nos moldar, para lapidar nosso caráter, para enriquecer a nossa vida de experiência. Deus usa a escola da aflição, para nos conduzir para patamares de vida piedosa mais sofisticada, porém muitos caem no erro de olharem para si mesmos, e se acharem injustiçadas por Deus, e então abandonam a fé. Há quem nutra uma amargura doentia por Deus.  Por falta de visão espiritual, e por promoverem o hedonismo, muita mestres omitem a verdade do valor das tribulações, e ensinam uma espécie de triunfalismo hedonista para os crentes.  Podemos perceber isso na hinologia contemporânea, as igrejas evangélicas modernas abraçaram uma musica antropocêntrica que promove a vitoria sobre toda e qualquer tribulação, como se tudo o que promove a aflição, sofrimento e dor fosse um fator que devasta a nossa vida e promove a apostasia, e denota um ar de derrotismo. Mas quando lemos a historia de Grandes homens de Deus notamos que esse não era o caminho que eles trilharam. Leia a história de Daniel, que foi arrancado da sua família, de seus amigos, de seu lar e de sua nação, você pensa que foi fácil viver numa terra pagã, distante e solitário? Leia a historia de Jose, quando é traído por seus irmãos, vendido como escravo, separado de seus pais, pagando por um crime que não cometeu, todo esse processo, foi uma escola de aprendizado e aperfeiçoamento espiritual. José era justo. Ele não merecia, na cosmovisão humanista e hedonista, ele nunca merecia isso! Mas Deus permitiu, e vimos como as aflições produziram em José um peso de glória mui excelente!
Como já disse, a hinologia moderna rouba de nós, os propósitos de Deus. Somos chamados a lutar em oração para nos livrar das aflições, ao invés de sermos conduzidos aos propósitos que elas  nos conduzem. Queremos nos livrar da prova, e não tomar posse do que ela pode produzir em nós. Eu não estou sendo masoquista, tentando promover uma cultura de prazer na dor. Nem mesmo estou afirmando que é bom sofrer. Não estou falando acerca do bem estar e do conforto na dor. Porque isso não existe nela. Mas estou falando na tribulação permitida por Deus,  exclusivamente sobre esse tipo de tribulação. Aquela que dentro do propósito divino, pela soberania infinita do Senhor , produz um peso de glória mui excelente. E sabemos que todas as coisas contribuem para o bem daqueles que amam a Deus. A escola de Cristo é uma escola de aflições que produzem glória. Porém não queremos saber o que Deus tem de melhor para nossa vida, queremos um cristianismo hedonista, onde estejamos isentos de todos os problemas e aflições.

As aflições do tempo presente muitas vezes são permitidas por Deus, porque precisamos nos aperfeiçoar por meio delas. Elas são lições preciosas que Deus usa, para que tenhamos uma vida mais rica de significados. Tenhamos percepção espiritual, principalmente nas coisas concernentes a eternidade, não devemos atentar para as coisas que se veem, mas para as invisíveis. Deus anseia que clamemos pela vinda de Cristo, Deus anseia por comunhão intima e profunda com Ele, Deus anseia por filhos que à semelhança de seu Filho Jesus Cristo. E isso raramente vem através de uma vida de conforto, festas, riquezas e bonança. Então o Senhor usa os meios necessários, para que o nosso coração não fique completamente apegado com as coisas terrenas. Precisamos ter um entendimento equilibrado sobre as aflições que Deus permite sobre seus Filhos. Elas produzem, são produtivas. Nosso caráter, nossa espiritualidade, nossa fé, nossas convicções, nosso amor, nossas experiências espirituais, tudo se aperfeiçoará através dessa produção em grande escala na nossa vida. Sei que essa não é uma visão popular do sofrimento, mas é bíblica. Para finalizar, necessário é esclarecer  que, as aflições produtivas são somente aquelas permitidas por Deus com propósitos definidos por Ele. As tribulações do tempo presente não podem ser comparadas com as glórias celestiais. Outros tipos de aflições produzidas por nossas decisões erradas ou por nossos atos irresponsáveis, ou ainda por causa de nossos pecados e desobediência, podem não ser produtivas, e na maioria das vezes são consequências. Só quando Deus usa a disciplina corretiva, pode haver algum beneficio na tribulação. Quando elas vem até nós por causa de nossos erros e pecados, então elas são consequências, muitas vezes devastadoras na nossa vida. Essas não produzem excelente peso de glória, nos trazem dor com angustia, por causa das consequências de nossas ações.
Talvez você esteja passando por momentos de aflições, mesmo não tendo feito nada de errado. Você simplesmente olha para o alto e diz: “Não entendo, Senhor, eu estou fazendo tudo certinho, mas as lutas não vão embora” Elas foram permitidas por Deus, não para irem embora no seu desconforto do sofrimento, mas foram permitidas para serem produtivas em você. Elas certamente irão embora quando cumpriram os propósitos divino na sua vida. Não entender isso, gera incredulidade, rebelião e ódio contra de Deus (Conheço gente que odeia Deus por causa das tribulações que tiveram que passar, acreditando que não mereciam tais coisas!)
Há um hino muito bonito, escrito por Frida Vingren, que denota o valor das aflições permitidas por Deus
...Os mais belos hinos e poesias, foram escritos em tribulação, e do céu as lindas, se ouviram na escuridão...
Paulo e Silas presos, com as costas feridas e sangrando, numa cela escura...cantaram...
O que você faria se estivesse lá sofrendo no lugar deles? Qual seria a sua reação? Como você interpretaria toda aquela situação? Se suas costas estivessem cobertas de chagas produzidas por açoites, numa prisão desconfortável, cheia de bandidos, um ambiente cheirando a urina, fezes e suor, cercado de ratos e insetos, em escuridão e com os pés amarrados no tronco? O que você diria nessa situação, como você interpretaria as circunstancias, sabendo que ali estaria pelo simples fato de ter cometido o delito de pregar o Evangelho?
Sugestões para o estudo bíblico: Livro de Jó, Genesis 37 a 50, Livro de Daniel, Salmos 34:19, livro de Atos etc.

Autor: Pr Clavio J. Jacinto


sexta-feira, 15 de janeiro de 2016

A SABEDORIA E A VIDA



A sabedoria
Não é uma bagagem que carregamos
É combustível
Que sustenta a lampada acesa
Para que possamos caminhar
Sem tropeçar

A sabedoria
Não é acumulo de conhecimento
Desnecessário
Mas um discernimento
Que nos impede de tomarmos
Decisões erradas

A sabedoria não é um fardo
De informações
Mas uma qualidade de vida espiritual
Que nos impede de carregarmos
Os entulhos da vida

A sabedoria não aprisiona o homem
Em conceitos errados
Mas o livra dos enganos da vida
Favorecendo sua caminhada
Aos valores que enobrecem o coração


Clavio Juvenal Jacinto


MULTIDÃO DE CONSELHOS PARTE II




1-Buscar ao Senhor deve ser o foco da nossa vida espiritual I Cronicas 16:11
2-O Foco da nossa família deve sem o Senhor – I Cronicas 16:28
3-Incline o seu coração a trabalhar na obra que Deus coloca em seu coração Neemias 4:6
4-Não ande nos conselhos dos ímpios Salmos 1;1
5-Não se detenha no caminho dos pecadores Salmos 1;1
6-Não se assente na roda dos escarnecedores- Salmos 1;1
7-Tenha prazer na lei do Senhor. Salmos 1:1
8-Medite todos os dias na lei do Senhor Salmos 1:2
9-Esforçai-vos e Ele fortalecerá o vosso coração Salmos 31:24
10-Busque entendimento espiritual buscando conhecer as escrituras Salmos 119:169
11-Tenha um coração quebrantado perante o Senhor. Salmos  51:17
12-Cante louvores enquanto tiveres vida Salmos 104:33
13-Fazei conhecidas as obras do Senhor Salmos 105:1
14-Tenha prazer em obedecer a Deus Salmos 112:1
15-Seja longânime para adquiri a sabedoria Provérbios 14:29
16-A palavra branda desvia o furor Provérbios 15:1
17-Use de prudência quanto tratar de assuntos espirituais provérbios 16:20
18-Nunca favoreça o ímpio para o justo perder a questão. Provérbios 18:5
19-Afasta-te da vaidade Provérbios 30:8
20-Afasta-te da palavra mentirosa. Provérbios 30:8
21-Ousemos falar de Cristo, a nossa esperança. II Coríntios 3:12
22-Devemos ter ousadia para buscar a face do Senhor. Efésios 3:12
23-Ore com alegria no coração. Filipenses 1:4
24-Ame a justiça, ainda que tenhas que padecer por causa disso I Pedro 3:14
25-Tenha sempre coragem de servir a Deus com fidelidade Salmos 3:6
26-Pratique a justiça e experimente a alegria de viver Provérbios 21:15
27-Proclame com toda ousadia a palavra de Deus Atos 4:29
28-Prove que ama a Deus, guardando os seus mandamentos João 14:15
29-Creia nas palavras de Cristo João 5:47
30-Examine as escrituras João 5:39
31-Tenha fé , não turbe o vosso coração, nem tenha temor, confia no Senhor João 14:27
32-Esforçai-vos e Ele fortalecerá o vosso coração Salmos 31;24
33-Esperai inteiramente na graça I Pedro 1:13
34-Sede sóbrios I Pedro 1;13
35-Perseverai na doutrina dos apóstolos Atos 2;42
36-Não temas, mas fale e não te cales Atos 18:9
37-Não se envergonhe do evangelho de Cristo Romanos 1:16
38-Considere a bondade e a severidade de Deus Romanos 12:22
39-Não te deixes vencer pelo  mal Romanos 12:21
40-Vence o mal com o bem Romanos 12:21.
41-Portai-vos varonilmente I Corintios 16;13
42-Permaneça o amor fraternal Hebreus 13:1
43-Seja Deus a fortaleza do teu coração Salmos 73:26
44-Fazei cada vez mais firme a vossa vocação II Pedro 1:6
45-Seja fervoroso na vida espiritual  Romanos 12:11
46-Seja o teu coração fervoroso na palavra de Deus Salmos 45:1
47-Seja obediente pela fé no evangelho Romanos 1;5
48-Batalhe pela fé uma vez dada aos santos. Judas 3
49-Não extingais o Espirito.  I Tessalonicenses 5:9
50-Testemunhe sempre da fidelidade de Deus.Salmos 40:10

Clavio Juvenal Jacinto



quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

O Livro de Concordia - Reforma protestante

O Livro de Concórdia foi elaborado e organizado por uma equipe de teologos protestantes em 1577, é uma coletanea doutrinaria das igrejas luteranas. Com muitos topicos interessantes, uma obra essencial paea quem deseja conhecer de perto as idéias centrais da reforma protestante. Um exemplar pode ser baixado em formato PDF, em espanhol. é só acessar o Link abaixo


http://escriturayverdad.cl/wp-content/uploads/Librodeconcordia/LIBRODECONCORDIACOMPLETO.pdf


Boa pesquisa!


Clavio Juvenal Jacinto

Mundo do Desespero e Evangelho da Esperança

Mundo do Desespero evangelho da esperança


O ano passado li um livro de Viktor Frankl, “Em busca de  Sentido” Frankl foi um judeu, sobrevivente dos horrores dos campos de concentrações nazistas, durante a segunda guerra mundial, atualmente li e pesquisei sobre o livro de George Orwell, cujo titulo e sua obra maior é “1984”.

George Orwell (1903-1950) foi contemporâneo de Viktor Frank (1905-1997) ambos viveram no período entre primeira e segunda guerra mundial, tempos obscuros, onde a crueldade do homem, o fanatismo político e a maldade chegaram aos extremos. Orwell, tornou-se um autor celebre, sua  obra literária “1984” é um épico da obscuridade humana. Um mundo dominado por três potencias, e o centro da história é um personagem chamado Winston Smith, que vive uma sociedade obscura, uma ditadura intolerante, um mundo escuro, onde a privacidade morreu e o controle total sob o individuo predomina de forma terrível. O mundo orwelliano é um mundo sem esperança, o “Grande Irmão” é o líder supremo, um ditador invisível, mas que tem uma onipresença quase absoluta através de uma tecnologia avançada, que consegue manter o controle de tudo o que está em seu domínio tirano. Nesse mundo miserável, totalitário, ideias são consideradas como crimes com sentenças de morte. Orwell traçou um mundo sem esperança. Talvez essa era sua perspectiva de vida, vendo os horrores da segunda guerra mundial, Hitler tentando invadir a Inglaterra, o predomínio do nazismo na Europa, o regime totalitário nazista assombrando o mundo, com o terror da guerra. Da mesma forma, outra tirania predominava na antiga União Soviética, Stalin era o líder supremo do bloco soviético, outro líder político, tão nefasto quanto Hitler. Orwell parecia ver o fim de uma humanidade “capitalista” para dar lugar a um mundo inóspito para os que desejam viver a liberdade. Não há esperança no mundo orwelliano. Sua obra talvez refletisse a sua crença. O mundo como ele conhecera, chegava ao fim. A humanidade pós-guerra seria uma humanidade presa em regimes totalitários vivendo uma vida sem liberdade e na miséria, debaixo do controle total do “grande Irmão”. Viktor Frankl, também conheceu os horrores da guerra, ele mesmo sofreu  as terríveis penalidades impostas pelo regime nazista, pelo crime de ser judeu. Sobreviveu ao campo de concentração de Auschwitz, viu a morte e o terror frente a frente, a dor, as mais duras provações e os mais lacerantes sofrimentos nos campos de concentrações. Era um mundo muito mais inóspito do que a “Oceania” de Orwell,  o regime nazista era bem mais obscuro do que o regime do “Grande Irmão”. Frankl no entanto, escreve “Em busca de um sentido” e nas paginas que escreveu, narrando suas experiências de dores, incertezas e sofrimentos, que mesmo numa situação de extremo sofrimento, com o mínimo de chances de sobrevivência, o homem que acha um motivo para continuar vivendo, consegue forças para superar as mais intensas aflições, mesmo que tudo esteja desabando a sua volta. Frankl vive uma realidade, Orwell vive uma ficção. O que Orwell teria escrito, que sobrevivesse aos campos de concentração e fosse testemunha ocular dos mesmos sofrimentos que Frankl testemunhou e experimentou? Mas o livro de Frankl é extraordinário no sentido de demonstrar que pode existir esperança em um mundo completamente inóspito a ela. O terreno que Frankl pisou era mais duro, o solo era mais contaminado pela maldade humana, mas mesmo ali, a semente da esperança germinava naquelas pessoas,prisioneiras de campos de concentração, que morrendo, nutriam a esperança de lutar pela sobrevivência, porque pensavam em seus filhos, esposa, família, etc.

O homem, filho de Adão foi jogado no mundo, e nesse lugar inóspito nasceu a civilização, o berço da civilização, foi uma família que foi expulsa do Eden. Era um mundo já inóspito em seus princípios. Lá nas eras mais remotas, vimos um irmão matar outro irmão (Caim e Abel) Ninrode estabelecendo as bases de uma civilização moralmente decadente e violenta. Essa é a historia do homem adâmico. Nem mesmo o evolucionismo ateísta foge a regra das escrituras. A historia do homem é uma luta de sobrevivência. Na escalada evolucionista o mais forte e o mais apto vence.  Nas escrituras, nem sempre o mais forte é o mais apto para vencer (Davi e Golias) e na vida comum, nem sempre o mais apto e mais forte vence. Para que a civilização aos moldes ateísta chegasse numa perfeição humanista, os mais inteligentes deveriam ser os vencedores na luta da escalada evolucionista, mas isso não ocorre. O historia mostra que os tiranos vencem, os ditadores vencem, e como aconteceu na segunda guerra mundial, muitos intelectuais morrem... A bíblia nos concede um caminho, não da força, mas da intelectualidade, como um meio para fundamentar uma sociedade mais justa (Provérbios 16;16) A ganância, a fome desesperada pelo poder, o amor ao orgulho, a tirania para dominar os outros, isso é o que predomina na sociedade humana durante todas as eras. A evolução é uma política de crueldade, no que concerne a aptidão para merecer a vida ou não. É uma guerra de química e de forças biológicas, que por fim não leva a nada, apenas a conjectura de que se vive algumas décadas nesse mundo. Por fim não há esperança, todo o evolucionista é um orwelliano no final da própria vida. Porque acredita que está indo para um futuro sem esperança. E de fato é um sentimento imperceptivelmente ambíguo. Por quê? Sem crer no evangelho, não há esperança de qualquer jeito...


Frankl mostrou ao mundo que a esperança brota do monturo da maldade humana. Os evangelhos também revelam que Deus concede esperança em meio aos pecados do homem caído.  A obra de Orwell é magnífica, ela ensina a lição de que o homem que tenta dominar o mundo, domina-o de forma sempre tirana.  O homem é o que o poder lhe concede, ao romper as estruturas de uma moralidade, expulsar a crença da sociedade, ao fazer predominar o relativismo, o homem confia em si mesmo, para resolver seus problemas existenciais, e acaba cavando um abismo para fazer escoar a própria sociedade que pretende implantar. Os evangelhos, e a vida de Cristo, mostram um lado mais luminoso, não é maravilhoso que Cristo seja chamado de Estrela da Manhã nas escrituras?. Ele conduz o homem a uma aurora iluminada pelo sol da justiça, não para um mundo orwelliano onde reina o desespero, a incerteza e a falta de perspectiva espiritual. A oração de Paulo era para que seus leitores alcançassem uma esperança mais pura de acordo com o plano de Deus “Oro também para que os olhos do coração de vocês sejam iluminados, a fim de que vocês conheçam a esperança para a qual ele chamou, a riqueza da gloriosa herança dos santos” (Efésios 1:18)

Num mundo onde as incertezas germinam em abundancia por causa das ações malignas do homem, Deus em Cristo, nos revela uma bendita esperança. A luta na vida cristã não consiste em ser o mais apto e mais forte, mas em ser mais santo e mais humildade.   A vida é uma CSA onde janelas podem ser abertas, por essas janelas encontramos muito mais do que conhecemos em seu interior. Todos nasceram com uma sentença de morte, na perspectiva cristã, a compreensão da morte é mais profunda, é mais aperfeiçoada. Não é apenas um cessar da vida biológica, mas também um cessar da vida abundante e espiritual. Jesus, veio nos dar vida abundante, ele mesmo declarou ser o caminho a verdade e a vida. Nascemos em pecado, e com uma condenação imposta pela nossa posição em Adão, mas Cristo Jesus, o enviado do Pai, morreu em nosso lugar La na cruz. O mundo jaz no maligno. Orwell traçou um caminho na sociedade, Frankl  traçou outro. E a lição final é que, mais do que Orwell e Viktor Frank, O Senhor Jesus Cristo nos mostra um caminho onde a esperança nasce e nunca morre. Ele convida”Vinde a mim todos os que estais cansados e sobrecarregados e eu vos aliviarei” (Mateus 11:28)



Pr Clavio Juvenal Jacinto
Paulo Lopes SC

sexta-feira, 8 de janeiro de 2016

DEZ FATOS SOBRE PECADO EGOISMO E ENGANO.




1- Muitas das vezes os ateus são céticos, porque a maioria dos cristãos não são uma evidencia suficiente.

2-O pecado não tem valor, apenas custos e consequências.

3-Se você quiser vencer todo o pecado, precisa vencer seu próprio ego, porque é ele que é atraído por todas sortes de pecado.

4-Ou você destrói o pecado pelo caminho da santidade, ou o pecado te destrói pelos caminhos da tua vaidade.

5- O mundo passa, mas os cristãos modernos olham para ele como se fosse eterno, a eternidade chega, mas os cristãos modernos se comportam como se não chegasse nunca.

6-A sociedade está enferma por causa do pecado, e os cristãos modernas se encantam pelo estilo de vida doente do mundo.

7-A melhor maneira de enganar a si mesmo, a forma mais eficiente de auto-engano, é reajustar a vida de pecado a uma religião que lhe de prazer, não lhe custe nada, engrandeça o ego, promova metafisica colorida e permita a satisfação da sua natureza carnal.

8-Quando um pregador faz apologia ao pecado, acompanhado de uma paixão fervorosa, no seu coração, o que queima é fogo estranho.

9-O Querer de Deus é a realidade verdadeira. O que o pecado produz é engano que o tempo desmascara.

10-Para esculpir ídolos no coração do homem, o diabo espera que o coração esteja completamente endurecido pelo pecado.

Autor Pr Clavio Juvenal Jacinto
Paulo Lopes SC Brasil

Os Cristãos Não Precisam de Ensino?



Em I João 2:27, está escrito que nós temos a unção, e por isso,não é preciso que ninguém nos ensine. Baseado nesse texto, alguns cristãos, argumentam que a igreja não precisa de mestres e professores que ensinem a respeito das doutrinas bíblicas, porque o Espírito Santo se encarrega dessa tarefa de ensinar o crente. Essa interpretação é coerente?
Vamos avaliar o caso de I João 2;27. Preste atenção ao texto, porque João está enfatizando que a igreja tem a unção  “E a unção que vós recebestes dele...” o que o texto quer dizer  é que grupos não cristãos e que não são portadores da verdade revelada nas escrituras, não tem autoridade de ensinar nas assembleias cristãs da época de João. Nesse caso, seguindo o contexto cultural da época em que foi escrita essa epistola, os gnósticos. A igreja de Cristo tinha a unção, o selo do Espírito Santo desde Atos 2, os gnósticos não!

João não quer dizer que não precisamos de homens qualificados para pregar e ensinar nas igrejas, um estudo do novo testamento de um modo geral, não nos leva nessa direção. Lideres como Paulo e Cristo exerceram um ministério de ensino muito grande nas assembleias primitivas. O correto seria interpretar I João 2:27 a luz de outros textos, como  I Coríntios 2:13, onde encontramos uma descrição clara que Paulo exerceu a função do ensino, pelo poder e pela unção do Espírito Santo. Ou seja, a unção que João ensina, é a unção que foi dada aos lideres da igreja, cada no exercício de sua função. Em II Timóteo 2:2 e 24, por exemplo temos um texto que revela que é essencial para a igreja, que haja lideres que ensinem. Aptidão para ensinar deve ser uma das qualificações fundamentais de um ministro do evangelho (I Timóteo 3:2) e a exortação com respeito ao exercício de um ministério eclesiástico era a perseverança em ensinar a sã doutrina (Confira II Timóteo 4:13 com Tito 2:1)

Autor: Clavio Juvenal Jacinto

A Polemica:Quem Foi Esposa de Caim?

Resolvendo o problema do Incesto 



Dias atras li um artigo de um cético, zombando e criticando o livro de Gênesis, o nível intelectual desse incrédulo, não aceitava a narração da criação do homem no primeiro livro da bíblia, e como prova da sua elevada intelectualidade, dizia que a bíblia se contradizia ai promover o incesto, quando Caim se casou com a sua irmã, e os outros filhos de Adão e Eva tiveram que se casar dessa forma.  O dilema, da misteriosa esposa de Caim já é antigo e desgastado. O argumento comum e a resposta são repetitivas. Cristãos aceitam o fato de que ele se casou com uma de suas irmãos e que no principio Deus aprovou o incesto porque as coisas teriam que começar assim. Bem a narrativa dos primeiros capítulos de Gênesis, mais precisamente os capítulos 1, 2, 3 e 4, são narrativas históricas reduzidas a um resumo. Não sabemos de fato, quanto tempo existiu no percurso entre Gênesis 1:1 até 4:24. A bíblia não é um livro cientifico, é um livro teológico e histórico, é proporcionalmente antigo, com verdades imutáveis. Partindo dessa visão, eu tenho conclusões pessoais bem diferentes, e consigo, pela fé e um raciocínio razoável, transpor essa dificuldade de irmã casar-se com irmão. Vejo as coisas de uma forma diferente. No princípio, a ação de Deus foi criar as coisas a partir do nada, e vimos como o livro de Gênesis descreve, a criação do primeiro homem, e também o processo em que foi criado a sua esposa. Porque Deus não criou Eva também do pó? Adão tornou-se a matriz do ser humano. Para dar continuidade a vida humana, Deus tira carne e osso de Adão e faz Eva. Vimos como isso se harmoniza, a espécie gera a espécie. Com retoque especial, nasce a mulher. Não há nada mais nas escrituras sobre essa multiplicação do ser humano. A união de Adão e Eva não foi um incesto. Eles não eram irmãos. Mas dessa união conjugal nasceriam filhos, se fosse gerado por Adão, num ato sexual com Eva. Como Deus vem produzindo a espécie humana de forma milagrosa, trazendo a existência a vida de Adão e Eva dessa forma, porque não acreditar que Deus usou material genético da Eva, para reproduzir outros seres humanos, e assim evitar o incesto? Creio que esse é um caminho para explicar a questão tão difícil do incesto. Se o Senhor Deus criador usou material genético e criou uma esposa para cada filho de Adão e Eva, o resultado final seria que os filhos de Adão e Eva não se casariam da forma como entendemos: irmão com irmão. Deus faria uma esposa para cada filho de Adão, e então a partir disso, o caso já estaria resolvido, pois as uniões conjugais posteriores seriam de primos com primos. É claro que aqui temos uma suposição, a bíblia não narra que foi assim, mas uma leitura cuidadosa do texto da criação, nos dá liberdade de crer que talvez isso possa ter ocorrido. Porque Deus é sábio, santo, Todo-Poderoso, e acima de tudo poderia ter resolvido assim, pois embora seja difícil de crer, suponho eu, nessa alternativa, mas no entanto nenhum cristão autentico, pode negar que Deus não teria a sabedoria e a capacidade de fazer exatamente isso. E é por isso que creio ser essa a resposta mais razoável.  Como já expliquei, os primeiros capítulos de Genesis, não dão uma a narração detalhada sobre todos os eventos, isso ocuparia um enorme espaço nas escrituras, a descrição é reduzida, a bíblia se ocupa praticamente em transmitir a historia da redenção. Mas creio ser essa uma explicação bem razoável, para responder aos incredulos e aos céticos.

Autor: Clavio Juvenal Jacinto

quinta-feira, 7 de janeiro de 2016

Livro: Jesus Em Sua Plenitude

Grande Livro!

Jesus Cristo em Toda a Sua Plenitude


Leia Online em:




http://aosseuspes.com/Livros

Multidão de Conselhos Parte I



MULTIDÃO DE CONSELHOS




"Na multidão de conselhos há segurança" Proverbios 11:14



1-Ansiedade provoca desequilíbrio emocional – Provérbios 12:25.
2-Ouça bons conselhos, pois isso fortalece a nossa vida- Provérbios 12:15.
3—Equilíbrio emocional dá saúde para o corpo- Provérbios 14:30
4-Não nutra a dor emocional, ela abate o espírito – Provérbios 5:3
5-Procure sempre amar e adorar a Deus com um coração puro II Timóteo 2:22
6-Esteja disposto a ouvir instruções de pessoas idôneas, e você será sábio. Provérbios 19;20.
7-Cultive a alegria do coração, e isso lhe será como remédio para seu corpo. Provérbios 17:22.
8-Guarda o teu coração de influencias malignas Provérbios 4:23.
9-Não contaminar-se com os pecados do mundo- Tiago 1:27
10- Esteja sempre atento para conhecer a prudência- provérbios 4;1
11- Teme ao Senhor aparte-te do mal- Provérbios 3:7
12- Apega-te a instrução e não as largue – Provérbios 4:13
13- Desvia da tua boca todo o tipo de perversidade- Provérbios 4-24
14-Não Andes pelos caminhos dos ímpios- provérbios 4:14
15- Quando tiveres sede de espírito, vá sempre à Cristo- João 7:37.
16-Toda a nossa capacidade útil deve vir de Deus I Coríntios 3:5
17-Seja cheio de toda a plenitude de Deus- Efésios 3:19
18-Não toques nada imundo- II Coríntios 6:17
19- Não fique no meio dos idolatras- II Coríntios 6:11
20-Não lute a batalha espiritual, com armas carnais II Coríntios 10:4
21-Sede todos de um mesmo parecer nas assembleias cristãs. II Coríntios 13:10
22-Não erreis. Gálatas  6:7
23-Não comece a vida cristã pelo espírito e acabe pela carne. Gálatas 3:3
24-Não semeie coisas ruins na vida espiritual, porque a semeadura, também será ruim Gálatas 6:&
25-Estai firmes na liberdade de Cristo. Gálatas 5:1
26-Devemos sempre amar a Deus com toda a força do nosso coração-Mateus 22;37.
27-Estude a bíblia, para não errar em consequência do desconhecimento teológico Mateus 22;29
28- Melhor é adquirir a sabedoria do que o ouro Provérbios 16;16
29-Melhor é adquirir a prudência do que a prata Provérbios 16;16
30-Alimente-se diariamente da Palavra de Deus. Mateus 4:4
31-Vigiai e orai para que não entreis em tentação Marcos 14:38
32-Pregai o evangelho a toda criatura Marcos 16:15
33- Creia em Cristo para ter plenitude espiritual João 7:38
34-O coração do homem deve sempre estar voltado para as coisas espirituais. Marcos 14:38
35-Segue a Cristo mas pare de seguir o pecado João 8;11
36- Espere pelas coisas espirituais com muita paciência Romanos 8;25
37-Não ande segundo a carne, mas segundo o espírito Romanos 8;1
38-Não murmureis entre vós João 6:33
39-Conheça a liberdade do evangelho para ser liberto do pecado.João 8;32
40-Não julgueis segundo as aparências, mas segundo a resta justiça João 7:24
41- A vontade de Deus deve ser a regra da vida diária Tiago 4:15
42- Procure chegar cedo na casa do Senhor II Crônicas  29:20
43-Confia no Senhor e faze o bem Salmos 37:3
44-Procure a paz e segue-a Salmos 34:14
45-Vede prudentemente como andais Efésios 5:15
46-Aproveitai bem cada oportunidade, porque os dias são maus Efésios 5;16
47-Andai em sabedoria para os que estão de fora Colossenses 4:5
48-Suporte as fraquezas do fraco. Romanos 15:1
49-Levai as cargas uns dos outros, para cumprir a lei de Cristo. Gálatas 6:2

50-Na vida cristã, não devemos agradar a nós mesmos. Romanos  15:1


Pr Clavio Juvenal Jacinto

Footer Left Content