sábado, 28 de março de 2015

O HOMEM TRANSFORMADO

  O HOMEM TRANSFORMADO





Se alguem está em Cristo nova criatura, as coisas antigas se passaram, tudo se faz novo
II Corintios 5:17

 Ontem li uma matéria sobre a condição psicológica do co-piloto alemão que conduziu de forma sinistra o avião da Germanwings para a destruição, fazendo a aeronave chocar-se em uma montanha escarpada nos Andes franceses, matando 149 pessoas, e tirando a sua própria vida.  Fato chocante! Um homem usa um avião para transformá-lo numa arma fatal, destruindo vidas e sonhos de tantas pessoas, inclusive jovens estudantes.  O interessante na matéria, seria a abordagem psicológica do co-piloto, se trancafiou-se no cockpit, num momento oportuno, e lançou a aeronave num paredão montanhoso. Que prazer, poderia sentir aquele homem, em uns breves momentos, em sentir-se pronto para dar cabo a sua própria vida, levando consigo, mais de uma centena de pessoas desesperadas, naqueles minutos que antecederam o choque do avião com uma montanha?
 A tese, da matéria era sobre algo incomum, o homem sinistro, que dorme dentro de pessoas que parecem ter aparência comum. Parece que algo estava adormecido naquele homem, escondido por trás de sua mente, e que num momento oportuno, despertou-se, e manifestou-se de forma tão terrível, que a sangue frio, levou a cabo intentos sinistros.
Que o homem, pessoal ou coletivo, carrega dentro de si, um velho homem natural, caído e aberto para influencias diabólicas, não há duvida nenhuma. A maldade do homem não tem limites. Pesquise sobre a segunda guerra mundial, o cerco de Leningrado e o conflito sangrento travado em Stalingrado, veja os campos de concentração nazistas, os Kamikazes japoneses , as bombas sobre Hiroshima e Nagazaki, tudo isso reflete a condição humana caída. Porém, essa velha natureza monstruosa, que faz pessoas pacatas se transformarem em cruéis e sinistras em tempos de crises e guerras, não deveria nunca existir em homens transformados pelo evangelho.
Aqui está a diferença: parece que o mundo materialista e ateu, vê a religião como um mal, uma ameaça a humanidade. A história parece favorecer uma tese superficial sobre essa questão, porém os fatos são outros. SE olharmos para o testemunho e a conduta dos falsos cristãos, sem duvida, o mundo incrédulo teria prova suficiente, para provar algo desfavorável com relação a religião. Mas a questão que deve predominar é que enquanto o falso cristianismo produz evidencias desfavoraceis ao verdadeiro cristianismo, o verdadeiro tende a produzir as evidencias necessárias. O problema é que pessoas incrédulas, não sabem fazer essa distinção. Por exemplo, na Alemanha nazista, parte do povo envolvido com o nazismo se dia evangélica, o luteranismo predomina em diversas regiões da Alemanha, mutos lideres eclesiásticos apoiaram o regime, mas aqui está a questão: tais pessoas que professavam a fé  cristã, eram de fato pessoa s transformadas? Se alguém está em Cristo. É uma posição espiritual relevante. O novo nascimento não é uma mudança de habito, é uma mudança de natureza, é uma mudança de coração, não se trata de algo completamente vago e superficial. É uma transformação profunda de nosso caráter, um processo que continua para toda a vida, e que tem um processo interior, fazer com que tudo em nós se aproxime, se pareça com Cristo (Romanos 8:29) Hoje não é diferente, há muita gente escondida por trás de uma religião superficial, gente que professa o cristianismo, mas nunca nasceram de novo, nunca tiveram uma natureza interior transformada. Essa é a grande verdade. Não existe algo como uma nação cristã. Os que professam o cristianismo atualmente, bem como em outras épocas, na sua maioria nunca teve um arrependimento sincero para crer no evangelho, embora isso seja um ensino fundamental das escrituras (Marcos 1:15)
Pessoas transformadas pelo evangelho, vivem numa vida espiritual elevada, elas tornam-se co-participantes da natureza divina, isso não significa que tornam-se pequenos deuses, participar da natureza divina é receber as virtudes do Senhor, por intermédio do novo nascimento, e isso faz com que nosso caráter fique aperfeiçoado, santificado e consagrado. Infelizmente, não vimos essas características em muita gente que se diz cristã. Não estou falando sobre pessoas perfeitas, porque eu creio no aperfeiçoamento continuo, no progresso espiritual, no desenvolvimento progressivo do caráter, porém, um cristão verdadeiro não esconde um mosntro dentro de si. Isso é impossível, porque o que vai viver lá dentro do coração é Cristo, e todo cristão sabe que a residência espiritual do Senhor, no homem interior, tende sempre a tornar-se um meio pelo qual o Senhor preside a nossa vida. Assim, entendo que, a lapidação do caráter, ma frutificação espiritual, a santidade da vida, o amor, e todas as virtudes divinas crescem na vida do devoto, do homem transformado. Se alguém está em Cristo, nova criatura é.
Somos convocados para vivermos uma vida honesta, Paulo nos identifica como luzeiros, vivendo em uma sociedade corrompida e perversa(Filipenses 2:15). Se existem homens justos sobre a terra, todo cristão deve ser um, pois o conselho de Cristo é buscarmos o Reino de Deus e a sua justiça (Mateus 6;33). O homem transformado, tem seu passado desintegrado, seu presente santificado, e sua eternidade perfeita. Mas as obras de um verdadeiro homem transformado pelo evangelho de Cristo, tem características distintas de um homem comum, perdido. Um homem transformado, está em Cristo, a vida de ressurreição de Cristo está nele, ele está em Cristo, nova Criatura é. Um  homem transformado frente a humanidade perdida. O perfil de um homem santo, é que ele é irrepreensível em todos os seus caminhos. É pacifico, é amoroso, é misericordiosa, é manso, é tranqüilo, é coerente, é sóbrio, é prudente, é sábio, é justo, porque tudo se fez novo.
João Crisostomo dizia que os cristãos demolem mais o cristianismo do que os inimigos e adversários. Talvez ele tenha uma razão nisso, porque parte daqueles que professam serem cristãos, negam com as suas obras. Mas as obras de uma pessoa, apenas denuncia que tipo de pessoa que ela é, e se uma pessoa revela ser sádica, maligna, injusta, rancorosa, homicida, fraudulenta, hipócrita, insana, desequilibrada, violenta, maldizente, apenas insiste em identificar-se como uma pessoa que nunca experimentou o novo nascimento. Não é cristã de verdade, porque Nunca passou pela transformação de uma nova criatura. Não é um novo homem criado em justiça e santidade. Se nele permanecem as características de um homem carnal, sensual, pecador, então ela pode ter mudado de idéias, nunca passado por uma transformação de vida. O que faz você pensar que é cristão? Desceu as águas batismais  ou respondeu positivamente ao apelo para “aceitar Jesus”? nada disso torna um homem verdadeiro cristão. O novo nascimento, este introduz o homem na vida transformada, e não há transformação autentica, se antes não existir um arrependimento por parte de uma pessoa, que reconheça ser pecadora, perdida e condenada, e que só Cristo pode salva-la dessa situação extremamente terrível. (Lucas 13:3).
Eu não creio em outro meio de tornar-se verdadeiro cristão, quantas pessoas estão sendo enganadas por falsos discursos. Porém só há um meio de tornar-se cristão: arrependimento dos pecados, reconhecimento desse fato, entregar-se a Cristo e aceitar o sacrifício redentor de Cristo, para em seguida viver a vida cristã transformada pelo novo nascimento que o Senhor lhe outorga mediante o arrependimento e a conversão. E então você não passa a viver mais de modo ilícito, seu velho homem precisa morrer, para que uma nova natureza venha. Ou no dizer de Paulo:”Para mim o viver é Cristo”, não era Paulo que vivia, era Cristo quem vivia em Paulo. Essa vida espiritual era um tipo de vida revolucionaria. Quando um pecador recebe essa transformação, sua vida pessoal e social muda radicalmente, pois ele sai do império das trevas, sai da escuridão, sai da condição de pobre condenado, para salvo bem aventurado, acredite! Pelo fato do caminho ser estreito, são poucos, os que realmente estão em Cristo e são novas criaturas. Não se engane! As igrejas cristãs modernas estão cheias de gente, que nunca passaram pelo arrependimento de seus próprios pecados(A maior parte, nem sequer tem idéia do que isso significa) Nunca reconheceram que eram pecadoras, elas são ensinadas falsamente  a ver a cruz como um ato de amor, quando na verdade a cruz é um juízo terrível, por causa de nossos pecados. O amor não está na cruz, está no coração de Deus por te dado seu Filho por nós. A ilusão espiritual, leva os incautos a viverem um falso cristianismo.  Que o SEenhor te ilumine sobre esse assunto.

Leia Colossenses 1: a 11

Pr Clavio Juvenal Jacinto

quinta-feira, 26 de março de 2015

A ARCA E A CRUZ


A ARCA E A CRUZ


A arca de Noé e a cruz de Cristo foram feitas de madeira

Ambas são símbolos de juízo

A arca preservou a vida dos justos
Mas a cruz aniquilou a vida de um justo

A arca colocou o homem num novo mundo
A cruz coloca o homem no novo nascimento

Ambas foram erguidas em um monte
Para salvar os homens

A arca, porém preservou os justos do juízo...
Mas a cruz colocou um justo em juízo

Portanto a arca salvou alguns
Mas a cruz salva milhões

A arca tinha muitas estruturas e pouca salvação
A cruz, porém tinha pouca estrutura;
Mas muita salvação.

A arca alcançou uma geração
A cruz alcança todas as gerações

A arca alcançou um povo
A cruz alcançar todas as nações

A arca apontava para um livramento temporal
Mas a cruz para uma salvação eterna

O mundo antigo era contra a arca
O mundo atual é inimigo da cruz

Ambas são loucura para a sabedoria dos séculos

A arca livrou o homem das águas
A obra da cruz livra o homem do fogo do inferno

A arca tinha uma porta
A cruz aponta para o único caminho
O SENHOR JESUS CRISTO

A arca foi aspergida pelas águas
Mas a cruz pelo sangue de Cristo

A arca denuncia a seriedade do pecado
A cruz anuncia a aniquilação do pecado

A arca foi construída por um justo
A cruz foi construída por ímpios

A arca trouxe alegria para a família de Noé
A cruz trouxe tristeza para toda família de Jesus

A arca aponta para a misericórdia de Deus
A cruz aponta para injustiça dos homens

A arca salvou alguns da desgraça
Mas a cruz aponta a salvação dos homens pela graça

A arca não comportava a salvação de todos
Mas a cruz é suficiente para salvar a todos os que crêem

Ninguém chegou ao novo mundo fora da arca
Ninguém alcançará salvação fora da obra da cruz

A arca determinou o fim da uma civilização
A cruz aponta para o fim do velho homem

A arca não matou o egoísmo do homem
Mas a cruz mata todo o nosso egoísmo

A arca não se tornou símbolo dos judeus
Mas a cruz tornou-se símbolo dos cristãos

Deus não mandou os judeus tomarem uma arca
Mas Jesus mandou seus seguidores tomarem uma cruz

O diabo não tentou noé a sair da arca
Mas tentou Jesus a sair da cruz

A arca levou um pregador da justiça
Mas um Rei, Profeta e Sacerdote levou a cruz...

Portanto é lógico concluir
A arca carregou o homem
Mas o filho do homem carregou a cruz

A arca levou Noé para a Turquia
Ma s a cruz levou Jesus para a destra de Deus.

A arca não pagou a divida de ninguém
Mas na cruz, Jesus pagou a nossa divida para com Deus.

Através da arca de Noé, Deus salvou uma família, mas através do Senhor Jesus Cristo, pelo sacrifício na cruz, todos os verdadeiros cristaos se tornam uma família de salvos.

A arca dividiu os povos, entre os que se salvaram e os que pereceram
A cruz divide os povos entre justificados e condenados

Na arca houve poucos que se salvaram
O livro de Apocalipse no entanto fala de uma multidão proveniente de todas as tribos, línguas e nações, que ninguém podia contar.

A arca é o símbolo da justiça de Deus
Mas na cruz, Deus revela que nos ama de verdade.



Você deve corresponder radicalmente a esse amor AGORA!
“ Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu pensamento” (Mt 22:37)


E, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte, e morte de cruz. (Filipenses 2:8)

E que, havendo por ele feito a paz pelo sangue da sua cruz, por meio dele reconciliasse consigo mesmo todas as coisas, tanto as que estão na terra, como as que estão nos céus. (Colossenses 1:20)

Havendo riscado a cédula que era contra nós nas suas ordenanças, a qual de alguma maneira nos era contrária, e a tirou do meio de nós, cravando-a na cruz. (Colossenses 2:14)

Porque a palavra da cruz é loucura para os que perecem; mas para nós, que somos salvos, é o poder de Deus. (1Corintios 1:18)

Porque muitos há, dos quais muitas vezes vos disse, e agora também digo, chorando, que são inimigos da cruz de Cristo, (Filipenses 3:18).


Pr Clávio Juvenal Jacinto
Igreja Evangelica Caminho da Paz
Paulo Lopes SC
(48) 9622-8870





terça-feira, 24 de março de 2015

O OBREIRO APROVADO PARA OS ULTIMOS DIAS


O conselho de Paulo para que sejamos obreiros aprovados, do que não tem do que se envergonhar mas que maneja bem a palavra da verdade, é fundamental para nossos dias. Pois estamos vivendo em dias, em que mais do que em qualquer outra era, precisamos ter conhecimento das escrituras. A ciência da teologia deve ser um assunto sagrado para todos aqueles que querem ter seus passos firmados na verdade. Paulo dá esse conselho: ser obreiro aprovado, que maneja bem a palavra da verdade. Aqui está algo digno de nota. Porque? Porque é nesses tempos perigosos, que muitos não suportam a sã doutrina, e passam a promover heresias de perdição, vejam bem, Pedro fala sobre heresias de perdição, isso significa que existem certos ensinos errados, certas classes de heresias, que conduz, os ignorantes e os incautos para a condenação eterna. Por isso deveríamos ficar mais atentos sobre esse assunto. Estudar as escrituras, para manejá-la de forma coerente e precisa, para termos a capacidade de exercer nosso ministério cristãos.
Um dos erros mais comuns em nosso meio cristão hoje em dia, é pensar que um obreiro, sendo ele pastor, presbítero ou diácono, é pensar que assunto hoje é encher templos. Quanto mais gente estiver aglomerada, quanto mais gente se associar ao ministério, isso significa êxito, e significa acima de tudo que tudo vai bem.  Porém Paulo afirma que o obreiro deve ser aprovado, por manejar bem a palavra da verdade. De outra forma ele não é dentro de uma perspectiva bíblica, um obreiro aprovado. De nada adianta um templo estar cheio de pessoas perdidas ou enganadas. E de fato, infelizmente, obreiros modernos são tendenciosos, querem a qualquer custo cultuar o numero, assim passa a impressão de que estão sendo abençoados por Deus, ou que estão tendo um êxito, por causa do crescimento numérico. Esse erro tão comum, fará com muitos obreiros tenham que responder pela omissão de não ensinarem a verdade para o povo. Somente pode ensinar as escrituras quem maneja bem ela. Jesus falou sobre o engano dos últimos tempos (Mateus 24:24) Paulo também fez muitas e serias advertências sobre a questão do engano Dops últimos dias. Em I Timoteo 4:1 afirma que os últimos tempos seriam difíceis por causa da teologia distorcida, a proliferação de heresias, doutrinas de demônios e surgiriam no cenário mundial, muitos espíritos enganadores. Haveria uma apostasia generalizada. Porque? Porque seriam ensinadas doutrinas espúrias, pois que mestres e pregadores seriam imitadores de pessoas santificadas e cheias do espírito santo, que enganariam pelo simples fato do disfarce. A arte de disfarçar tem sido uma das armas mais eficazes que satanás tem usado, essa estratégia tem pegado muita gente, pois que na medida que os seus ministros disfarçados se apresentam como homens piedosos e aparentando serem cheios do Espírito Santo, na verdade são enganadores, que por causa de um disfarce de piedade, as pessoas sem discernimento acreditarão serem esses tais, homens de Deus, quando na verdade não são. Pelo contrario, são fantoches a serviço do diabo para promover heresias de perdição. Milhões de pessoas estão dispostas a acreditar em qualquer profeta desde que ele apresente sinais e maravilhas, e fale coisas espantosas e magníficas! Sim! Milhões de pessoas estão dispostas a acreditarem em pregadores e profetas que façam muito ruídos, apresentem um fogo espiritual que os convença de que tais são de procedência espiritual sobrenatural. Não estão se importando se o fogo é genuíno ou estranho!
Paulo Chama para a milícia (I Timoteo 6:11 a 16) isso é: batalhar! Judas em sua breve epistola também nos chama para a batalha.(Judas 3) eis o fato real. O obreiro é aquele que sabe manejar bem a bíblia como um soldado que sabe manejar bem uma espada. Creio que Paulo, por ser construtor de tendas, ele sabia do que falava. Teria que ter precisão nos cortes do artefato para que a costura se encaixasse de forma a fazer com que a tenda ao ser montada ficasse perfeita para abrigar contra a chuva e o vento. Assim também devemos ter precisão nos ensinos das escrituras, e para que isso seja possível, deve ter um manejo eficiente das escrituras.
Já vi muita gente citar a bíblia descontextualizada, sem precisão, violando as regras de interpretação, porem o verdadeiro obreiro não comete esse erro, em hipótese alguma. Muitas pessoas dependem do que o obreiro ensina. Uma vez que você como obreiro, ensine errado, precisa entender que poderá colocar em risco, muitas almas. Isso deveria causar em cada obreiro, um enorme temor e senso de responsabilidade com relação às cosias espirituais, porém muitos estão interessados em si mesmos, não nas almas ou no rebanho. Isso amados, tem sido uma realidade desde os tempos antigos, pois Paulo se sentiu triste, sabendo que depois de sua partida, surgiriam lobos devoradores, que entraria no meio do rebanho, lobos cruéis que não poupariam o rebanho(Atos 20:29)
Em Mateus 22:29 Jesus acusa os saduceus, de errarem por não conhecerem as escrituras, esse defeito espiritual dos saduceus, não deixa de ser admirável, sendo o judeu o povo do livro, e estarem vinculado aos preceitos religiosos e a Torá, torna-se um fato admirável que sejam reprovados por não conhecerem as escrituras. Certamente que isso serve de lição para nós, para cada obreiro do Senhor, justamente porque trata-se do cerne nas questões doutrinarias. Não se pode dominar as estruturas doutrinarias do cristianismo sem conhecer bem as escrituras. Durante todos esses anos, convivi com gente preguiçosa e relaxada, que não se dão ao luxo de ler, pesquisar, estudar as escrituras, usando ferramentas adequadas, para favorecer essa empreitada tão nobre, que é ler estudar e meditar nas escrituras, para que se tenha uma vida espiritual equilibrada e um conhecimento razoável, para orientar o rebanho por caminhos certos e conduzi-los em passos firmes.
Precisamos aprovados, que manejemos bem a palavra da verdade, porque os lobos ferozes, os falos profetas, os mercenários, os demônios, todos estão unidos no propósito de desviar cada cristão da sã doutrina,  Pedro nos adverte que surgiriam falsos profetas e falsos doutores que introduziriam encobertamente heresias de perdição (II Pedro 4:1) uma das marcas desse final dos tempos, seriam essa agravante dentro do cristianismo. Agora veja bem, quem previne o rebanho do Senhor contra essas astutas ciladas diabólicas. Satanás aprendeu com os séculos que a espada do martírio não corrompe a igreja, mas o ensino distorcido corrompe. Satanás aprendeu que perseguir cristãos não tem tanto poder devastador, quanto enviar um emissário maligno com um disfarce de homem piedoso, para torcer as escrituras e ensinar os filhos de Deus a tropeçarem. Veja como a Igreja de Pergamo tolerava a doutrina dos nicolaitas e a doutrina de Balaão, veja como a igreja de Tiatira tolerava a mulher que se dizia profetiza, e enganava para que os incautos fornicassem e comesse de sacrifícios de idolatria, veja como a doutrina da prosperidade afetou completamente a vida espiritual de Laodicéia. Todas essas igrejas saíram dos trilhos doutrinaram e o vagão teológico estava descarrilhado. Onde está a falha? Na liderança principalmente, porque se havia a exposição de falsas doutrinas, ela estava sendo exposta por aqueles que estavam pregando, se uma mulher chamada Jezabel estava proclamando doutrinas abomináveis e estava ensinando o povo a tropeçar, isso ocorreu porque foi dado um espaço para ela fazer isso, ela estava ocupando um espaço de pregadora ou ensinadora. Tal coisa não ocorreu na igreja de Efeso, porque ali, a igreja tinha um poder de discernimento que os fez perceber que os que  se diziam serem apóstolos eram falsos, enganadores, eram falsos apóstolos. A grande reação da igreja de Bereia foi verificar se o que Paulo ensinava estava de acordo com as escrituras, essa foi a atitude de nobreza de tais, (Atos 17:11).
Cada obreiro precisa ter responsabilidade e transparência nesse assunto, nosso quilate espiritual deve ser de metal nobre, nossa firmeza e nossa dedicação deve ser sempre mais e mais aperfeiçoada na ciência da teologia sagrada, devemos mergulhar com afinco, amor e paixão nessa atividade piedosa, para que o padrão de obreiro aprovado seja nosso alvo constante. Só assim estaremos preparados para essa guerra espiritual que vivemos nesses dias, só assim a chama da verdade irá brilhar diante de nossa congregação, e iremos conduzir nosso rebanho por veredas de justiças que brilham mais e mais como a luz da aurora.

Pr Clavio Juvenal Jacinto
Igreja Evangelica Caminho da Paz-Paulo Lopes SC
(48) 9622-8870

Nota: A Global Reach, tem disponível em forma eletrônica o livro O OBREIRO CRISTÃO, esse livro foi usado em décadas atrás aqui no Brasil pelo ICI, como parte de um currículo contendo vários cursos de aperfeiçoamento aos cristãos brasileiros. Vale a pena conferir:


http://portugues.globalreach.org/portugues/images/L5250PT01.pdf

segunda-feira, 23 de março de 2015

Celeste Aurora




Inefável glória do Céu
De alma penso em ti e anelo
Como viva esperança que cresce
Mais e mais
Eu imagino essa bendita e linda
Aurora
Onde todas as tonalidades
Do amor verdadeiro
E os rios mais caudalosos
Do gozo mais pleno
Fazem tudo em mim, emitir
Um brado de eterna alegria
Sinto o júbilo da graça. transbordar
A satisfação de servir a Cristo
Adorando para sempre
O Deus Bendito e Soberano


Clavio Juvenal Jacinto

sexta-feira, 20 de março de 2015

DISCERNIMENTO ESPIRITUAL-FALSOS CRISTOS. Parte Final



“É estranho como um fato pode permanecer inalterado, ao passo que a nossa interpretação do mesmo altera-se com o passar das gerações e dos anos. Um fato assim é o mundo em que vivemos. Ele existe e tem existido através dos séculos. Isso é um fato permanente, praticamente inalterado com o passar do tempo, mas como é diferente a forma pela qual o homem moderno o vê, em relação à visão que nossos pais tinham! Aqui vemos com clareza quão grande é o poder da interpretação.” (A. W. Tozer em Este Mundo, Lugar de Lazer ou Campo de Batalha? Pag 7 Danprewan Editora 1999)



Os últimos dias, seriam assinaladas por aparecimento de falsos cristos, anticristos e falsos profetas. Em I João 41 a 6 vimos como os anticristos e os falsos profetas saíram do meio do cristianismo, está claro isso, quando João afirma que tais “saíram de nosso meio”.
 Ao fazermos uma avaliação sobre o motivo pelo qual tais saíram do meio da igreja, vamos descobrir que a igreja cristã do primeiro século era uma igreja de combate(Judas 3) podemos ver esse fato, lendo o novo testamento, as cartas apostólicas são na sua maioria de teor apologético. Não é de admirar que a Igreja de Efeso, tenha testado alguns que se diziam ser apóstolos e eram enganadores.(Apocalipse 2:6). Eles tinham sobriedade e discernimento. Sobriedade não é uma opção espiritual, é uma ordem clara das escrituras (I Tessalonicenses 5:6 I Timóteo 3:2 Tito 1:8 Tito 2:2, I Pedro 1:3 e I Pedro 4:7) Quando existe sobriedade, existe discernimento. E a necessidade singular de nosso dias, é ter discernimento correto, para ver as coisas por fora da igreja e por dentro da igreja. Geralmente os cristãos olham as coisas por fora, e não por dentro.  Os sinais da vinda de Cristo não são somente externos, como vimos de forma geral, multiplicação da iniqüidade, terremotos, pestes, conflitos, aparecimentos de falsos cristos etc. Também tem um sinal interno: Apostasia, o engano, o amor que se esfria. Estude as cartas que Cristo mandou enviar as sete igrejas da Ásia, nos primeiros capítulos  do livro de Apocalipse, os problemas ali eram internos, O jezabelismo imperava em Tiatira, enquanto que a doutrina dos nicolaitas e a doutrina de Balaão predominava em Pergamo. O engano espiritual tem ação dupla, enganar um mundo perdido, e cegar os cristãos que conhecem a verdade do evangelho. Por isso mesmo, as palavras de Cristo ecoam após muitos anos: “Acautelai-vos que ninguém vos engane” (Mateus 24:5) isso não foi uma advertência para o mundo, foi uma advertência para os apóstolos, não foi uma advertência para os perdidos, foi uma advertência para a igreja. A grande força do engano é seu disfarce. A humanidade crédula acredita num engano que assombra, mas a bíblia adverte sobre um engano que disfarça.  Na idéia comum de um homem sem deus, o diabo tem chifres, é feio e vermelho e de aparência assustadora, na revelação do Novo Testamento é um ser que se transfigura em anjo de luz. As palavras de Cristo são dignas de meditação: “Porque surgirão falsos cristos e falsos profetas, farão também grandes sinais e prodígios, que se, possível enganariam até os escolhidos” (Mateus 24:24)  Grande sinais e maravilhas, isso é algo espetacular, literalmente sobrenatural, com a possibilidade de enganar até os escolhidos. Aqui vimos como as coisas acontecem na dimensão externa e interna, os falsos cristos podem aparecer lá fora, mas podem enganar os que estão dentro da igreja. É isso que Cristo ensina. As condições visíveis de que estamos vivendo tempos difíceis, é um convite para que o homem reflita sobre a sua condição espiritual.

No principio desse estudo, falamos sobre o engano dentro da igreja, de forma sutil, apresentado por uma teologia liberal, que apresenta um Cristo tolerante com o pecado e com o mundanismo, essa versão de um cristo que não se importa com o pecado e nem mesmo com a santidade, é completamente estranho ao livro de Apocalipse. Sobre esse engano Donald Stamps, comenta na bíblia pentecostal: “ Os falsos profetas e os liberais religiosos dentro da igreja visível aumentarão e enganarão a muitos” (Biblia de Estudo Pentecostal Pag 1436 Comentario de Donald Stamps Mateus 24:4 CPAD). De fato esse engano foi predito por Paulo em pelo menos duas passagens, I Timoteo 4:1 e II Tessalonicenses 2. Como esse texto tem o objetivo de  esclarecer um pouco mais a questão do aparecimento de falsos cristos, ficarei nesse tema, falando sobre apostasia e doutrina de demônios em outro artigo.
Logo em seguida, vem a realidade de que muitos dentro do cristianismo acabam por quere se igualar de alguma forma com Deus, a doentia vontade de ser um deus, a síndrome do messianismo está presente dentro da cristandade atual, confissões como a de Morris Cerulo, que foi mencionado anteriormente, é um exemplo claro disso. Passando pelos cristos do esoterismo e do espiritualismo, que de alguma forma, vem com um simulacro de uma escatologia muito parecida com a das escrituras, esse engano esotérico e espiritualista, visto de forma mui clara nos movimentos ocultistas da nova era, como também foi exposto razoavelmente aqui.
Rick Joyner escreveu um livro chamado ”Havia duas Arvores no Jardim”, nesse livro ele menciona alguns lideres cristãos evangélicos da Alemanha na época da segunda guerra mundial, o povo alemão via Hitler como uma espécie de Messias salvador, alguns lideres cristãos foram mais além: Julio Leutheuser, Um pastor protestante alemão afirmava “Cristo veio a nós através de Hitler” (Havia Duas Arvores no Jardim-Rick Joyner Pag 23). Aqui temos um exemplo claro de falta de discernimento partindo de lideres cristãos, a falta de discernimento dentro da igreja, uma comparação tosca, uma afirmação de um iludido, porque Hitler poderia ser o salvador de uma nação em ruinas, de um povo que sofreu uma derrota angustiante na primeira guerra mundial, mas Hitler não tinha nada que o fizesse parecer com um cristo, só uma pessoa iludida poderia ver isso, mesmo no principio, quando ele queria reerguer a Alemanha, deveria ser visto apenas como um político e nada mais. A mentalidade do povo cristão moderno não é muito diferente dos cristãos alemães no século passado. Poucos viram no nazismo um perigo iminente que colocaria o Europa em perigo. Falta de discernimento é a resposta para esse comportamento.
O discernimento espiritual nos capacita a não sermos enganados a partir de dentro pra fora, porque lá fora há os que afirmam serem cristo, mas dentro da igreja visível, temos o discernimento para enxergar quando alguém prega outro cristo? Temos discernimento para detectar quando alguém quer ser bajulado como se fosse um deus? Temos capacidade de observação, para enxergar quando ao invés de cultuar a Deus a s pessoas estão cultuando cantores, pregadores, apóstolos e artistas gospel? Temos a capacidade de ver que há engano religioso sofisticado, revestido de uma mensagem que parece tão bíblica e ortodoxa? O grande erro da maioria sempre será concluir que, desde que alguém faça sinais e maravilhas dentro ou fora da igreja, ai está uma evidencia irrefutável de que o tal procede de Deus. Esse é o erro fatal que muitos insistem alimentar, tudo o que se tem cultivado dentro do cristianismo como o pragmatismo e o relativismo moral, impulsiona a cegueira espiritual.
Quem não será enganado?
Sem discernimento é impossível não ser enganado nesses dias finais, a sobriedade é uma ordem divina, não é uma opção de vida espiritual. Não haverá grande risco de enganos, quando o assunto é o aparecimento de outros cristos e falsos cristos no mundo. Alguns lideres espirituais que afirmam serem cristo, estão limitados apenas ao movimento que lideram, sempre são rejeitados pelas igrejas cristãs. Porém o engano que se desenvolve dentro das igrejas cristãs, tem um poder muito grande de cegueira espiritual.  Olhe como a metafísica do Novo Pensamento, as teorias psicológicas, e certas manifestações bizarras são aceitas nas igrejas carismáticas e pentecostais modernas.  Não há barreiras para o engano dentro do cristianismo, salvo exista uma teologia conservadora equilibrada, um culto cristocentrico, uma exposição contínua das sagradas escrituras e uma vida piedosa e casta como aconselha as paginas do novo testamento. Os que buscam fenômenos sobrenaturais são presas fáceis do engano, porque procurar sinais e maravilhas sem tem discernimento espiritual, é abrir as portas para todo tipo de engano.

Como cristãos, devemos estar atentos para os sinais que vimos lá fora no mundo, em que a igreja ainda está inserida, porém nunca podemos perder a sensibilidade, para ficarmos cegos e alheios dentro do cristianismo. É para isso, que serve o discernimento, estarmos atentos, e não deixarmos sermos enganados pelo engano que provem de estruturas eclesiásticas. Nem tudo o que de fato arde, é fogo genuíno. Há o perigo do fogo estranho (Levitico 10)

Surgirão falsos cristos...
Durante algum tempo, pesquisei livros e algumas paginas da internet, buscando alguns personagens que apareceram nos duzentos últimos anos, e que se proclamaram como sendo cristo, ou uma reencarnação dele, ou proclamaram serem uma espécie de salvador ou messias. A lista não é completa, alguns ainda vivem e a maioria viveu nos últimos cem anos. O que vimos a seguir é uma simples demonstração do quão verdadeiras foram as advertências de Cristo- segue o nome do personagem e país de origem.
Lista de 50 personagens históricos que se declararam serem divinos, messias, um cristo, um avatar ou salvador da humanidade.

1-Allan John Miller- USA
2-Moisés Hlogwane- Africa do Sul
3-Phetole Selepe- Africa do Sul
4-Shayler Bavis- USA
5-Inri Cristo- Brasil
6-Jett Simmons Mcbride- USA
7- Sergey Torop- Russia
8-Apolo Quiboloy- Filipinas
9-Lou de-Palingboer- Holanda
10-Mirza Ghulam Ahmad- India
11-Ernest Norman USA (Afirmava que foi Cristo em outra reencarnação)
12-Krishna Venta-USA
13-Ahn Sahng Hong- Coreia do Sul
14-Sun Myung Monn- Coreia do Sul
15-Jim Jones- USA
16-Marshal Aplewhite- USA
17-WAYNE Bent-USA
18-Ariffin Mohammed- Malasia
19-Mtayoshi Mitsuo- Japão
20-Shoko Asahar- Japão
21-David Koresh- USA
22-Hoger Fukunaga- Japão
23-Maria Devi Christos- Ucrania
24-Jeovah Wanyonyi- Kenia
25-Brian David Mitchell-USA
26-Jose Luiz Jesus Miranda-Porto Rico
27-Andre Biry- França
28—Cristo Roger Quatremere -França
29-Jean Pierre Gallicano- França
30-Charles Manson- USA
31-Faustino de Brito- Italia
32-Sathya Sai Baba- India
33- Geroge Roux- França
34-Gilbert Burdin- França
35-Emille Dauphin- França
36-George Montfavet- França
37-John Nicols Tom-Inglaterra
38-Haile Selassie I- Etiopia
39-Hong Xiu Quan- China
40-Jacobina Mentz Maurer- Brasil
42-André Matsova- Congo
43-Lazlo Thot- Hungria
44-Jung Myung Seok- Coreia do Sul
45-David Icke- Inglaterra
46-Nirmala Svrivastava- India
47-Ryuho Okawa- Japão
48-Yaweh Ben Yaweh-USA
49- Claude Maurice Marcel-França
50-L. Ron Hubbard  USA (declarou-se um avatar)

Com certeza existem outros que não foram mencionados e ainda surgirão outros com o passar dos anos.


Pr Clavio Juvenal Jacinto


ATENÇÃO: para ter uma visão do estudo completo, leia os primeiros 3 artigos, com o mesmo assunto publicado aqui:
http://claviojacinto.blogspot.com.br/2015/03/discernimento-espiritual-falsos-cristos.html



quinta-feira, 19 de março de 2015

DISCERNIMENTO ESPIRITUAL-FALSOS CRISTOS III



Se, então, alguém disser: 'Vejam, aqui está o Cristo!' ou: 'Ali está ele!', não acreditem. Pois aparecerão falsos cristos e falsos profetas que realizarão grandes sinais e maravilhas para, se possível, enganar até os eleitos. Vejam que eu os avisei antecipadamente. "Assim, se alguém disser: 'Ele está lá, no deserto!', não saiam; ou: 'Ali está ele, dentro da casa!', não acreditem.  Mateus 24:23-26


A grande advertência de Cristo,que haveria nos últimos tempos, falsos cristos que enganariam a muitos, é extensiva, de uma compreensão muito mais profunda do que de fato, acostumamos a compreender. A uma diferença entre falsos cristos e anticristos. Ambos são descritos no plural, embora João fale sobre o anticristo, como uma pessoa singular, o fato é que qualquer pessoa que se opõe a Cristo, é anticristo, e qualquer pessoa que se faça passar por Cristo, um falso Cristo. Temos que compreender essa diferença, e entender que ambos, falsos cristos e anticristos sempre  desempenharam uma papel no mundo, e a intensidade seria maior na medida que em que o fim se aproxima. Quero  abrir uma nova janela, para verificar o aparecimento de falsos cristos, no espiritualismo ocultista do presente século.
Um dos mais conhecidos lideres espiritualistas, de décadas passadas foi Benjamim Creme, ele ficou conhecido entre adeptos da Nova Era, por ser uma espécie de precursor de Maitreya, o cristo da nova era, chamado de instrutor do mundo, e segundo alguns adeptos da movimento Nova Era, é aquele que está sendo aguardado por todas as religiões. Ele seria uma espécie de fusão de muitas entidades religiosas, seria Buda, Krishna, o cristo da cristandade e enfim o messias, que o mundo aguarda.  Uma das principais lideres da Nova era foi Alice Bailey, escritora prolifera e autora de diversos livros canalizados (A canalização é uma espécie de mediunidade muito comum entre esotéricos) escreveu o livro “O Reaparecimento do Cristo” nesse livro, a autora aborda a temática da volta de Cristo, de uma forma completamente diferente daquela exposta pelas escrituras sagradas. Para Bailey, o Cristo que virá será uma espécie de Avatar, ele reaparecerá para toda a humanidade, não importa os credos, religiões e doutrinas.
Esse engano, tem se proliferado de forma muito concreta, desde a década de 1970, ganhou muita popularidade nas três décadas subseqüentes, e é muito popular hoje entre esotéricos. Sendo Alice bailey uma das vozes mais importantes da Nova Era, do espiritualismo esotérico e do ocultismo, não seria de admirar que suas idéias ganhassem força e popularidade. Esse reaparecimento de um cristo, como promove tal livro, é de cunho quase que ecumênico, na verdade será uma espécie de reunificador de povos, que virá para resolver os problemas mundiais. O que Bailey promove, é um Cristo completamente diferente da Biblia, por isso trata-se de um outro cristo. Esse cristo seria apenas um avatar, mestre Ascenso, algo que compartilha com os deuses de outras religiões. O avatar promovido por Bailey, é uma resposta do clamor de um mundo desesperado, enquanto a vinda do verdadeiro Cristo, é uma vinda como ladrão, iminente, não esperada pela maior parte do mundo, num momento de obscuridade espiritual, confusão. Para Bailey isso não é assim, a vinda de um cristo avatar, é a consumação da esperança de um mundo caído, que precisa de um líder que venha dar as coordenadas ao mundo desesperado. Não precisamos ir mais alem, uma simples pesquisa aos escritos de Bailey, principalmente seu livro”O Reaparecimento do cristo” se conclui facilmente que Bailey promove a vinda de um outro cristo, pois promove outro evangelho e outro cristo.(1)

Ainda dentro do espiritualismo ocultista da nova era encontramos o cristo cósmico, não é esse o Cristo das escrituras, e nada tem a ver com  o Nosso Salvador. Na metafísica esotérica e espiritualista da Nova Era, o cristo cósmico, é uma espécie de guia espiritual, uma força cósmica, ou uma energia, não há definições muito claras sobre isso. As vezes associa-se esse cristo como se fosse parte de uma hierarquia de mestres ascensionados, alguém que envia mensagens via canalização, que quer instruir a humanidade, de qualquer forma, entende-se pelas escritos sobre o assunto, que esse tal de cristo cósmico, é uma entidade etérea, identificada como “Amor universal” para alguns trata-se de uma energia cósmica, e para outros simplesmente um mestre ascensionado, em igualdade de natureza com outros seres supostamente iluminados.(3)
Para George King, Fundador da Aetherius Society, um movimento esotérico, que reúne elementos de cristianismo, budismo, ufologia e teosofia, Cristo era apenas um avatar extraterrestre. Sua procedência seria de Venus. Nessa idéia confusa, vimos como uma das normas mais comuns do engano é criar confusão. Repete-se a mesma crença de que Cristo é um avatar, um bem feitor da humanidade, igual a Buda e outros. Para King, Buda tem algo em comum com Jesus Cristo, porque também é venusiano.  De salvador e Senhor, como descreve as escrituras, os falsos cristos esotéricos, são simples avatares, espíritos aperfeiçoados, seres de luz, energias, ETs, porém nunca afirma que é Deus que se fez carne. (4)
Ashtar Sheran é o nome de uma outra identidade que vem causando polemica e confusão nos meios esotéricos, ouvi falar pela primeira vez sobre essa entidade, na década de 1990.  Sheran é uma espécie de salvador da humanidade, vem alertando desde longas décadas, sobre os riscos de experiências nucleares, e tem uma mensagem (se comunica por canalização) com forte teor espiritualista religioso. Segundo alguns seguidores, é comandante de uma confederação de naves intergalácticas. Há vários grupos em todo o mundo que promovem a causa, dessa entidade que se faz passar por salvador da humanidade. Vejamos como alguns de seus defensores o descrevem: “Ashtar, o Comandante-em-chefe do Comando Galáctico é Adonai, o Senhor da Luz. É Um (como Emmanuel-Jesus, o Cristo foi e é) dos B’nai Or, B’nai Elohim (Um Filho da Luz, Um Filho de Deus.) Ele é um Ser Celestial – que tem avançado na forma e em energia para além dos níveis dos mestres ascensionados da Terra. Muitos dos mestres originais que servem o sistema Terra têm originalmente vindo principalmente de Vênus e SÍRIUS.  Existem também alguns que estão aqui a partir das PLÊIADESÓRION, de MARTE, Júpiter, Netuno e Urano, na nossa Hierarquia da Terra. Existem também alguns de Mercúrio, Saturno e, atualmente, da Terra e de outros lugares.”(4) a clara descrição acima, revela que essa entidade se iguala a um deus e com cristo.  Junto a esse mito, chamado Ashtar Sheran, segue a propagação da idéia de uma evacuação mundial, onde naves lideradas por esses seres intergalácticos irão “arrebatar” da terra muitas pessoas, de diversos cantos desse mundo. Uma idéia muito parecida com as descrições de Paulo sobre o arrebatamento (5)
Ainda no lamaçal confuso do espiritualismo esotérico encontramos um outro cristo, chamado de Jesus sananda, segundo alguns, esse sananda não é o Jesus Cristo, Senhor e Salvador das escrituras sagradas “Mas Ele é bem mais do que isso. Sananda é um Avatar Cósmico, que com sua Energia Crística, semeou o Amor e o Perdão por vários mundos e várias dimensões. Se na nossa 3ª dimensão Ele ensinou “Não Matarás”, em uma dimensão superior e paralela da nossa Terra Ele ensinou “Não Tocarás”.(6) A tecla sempre toca o mesmo tom, é uma repetição contínua de que cristo é um avatar, mas sempre com tonalidades e personalidade diferente de acordo com a perspectiva esotérica. Para alguns, sananda é o mesmo maitreya, porém nem sempre é visto assim, e nem mesmo interessa esse dilema. Na verdade o que importa é que esse tal sananda não é o Cristo dos Cristãos bíblicos, é apenas mais uma entidade iluminada, promovida pelos espiritualistas e novaerenses. Simplesmente para cumprir as profecias do VERDADEIRO CRISTO: que surgiriam os falsos cristos, para enganar a muitos, e de fato as duas coisas estão acontecendo, tem aparecido muitos falsos cristos, e muitos tem sido enganados. É lógico que esse tal sananda que agora vem fazendo contato por canalização , explica que é preciso reescrever a história de Cristo, pois os documentos terrestres (A Biblia, é claro!) foram adulterados. Assim esse tal de sanada está usando uma médium chamada Kathryn E. May, para reescrever e espalhar pelo mundo a verdadeira de história de Jesus Cristo, porque as que temos disponíveis na terra são falsas. (7)

Pois aparecerão falsos cristos e falsos profetas que realizarão sinais e maravilhas para, se possível, enganar os eleitos. 
(Marcos 13:22)

(1)   El Reaparecimento Del Cristo-Alice Bailey - Lucis Trust-Buenos aires Argentina, consultado as obras completas em um só volume, de Alice Bailey Pag 3287.
(6)   https://projetodespertar1111.wordpress.com


Autor: Pr Clavio Juvenal Jacinto

Acompanhe todo o estudo sobre esse assunto:
http://claviojacinto.blogspot.com.br/2015/03/falsos-cristos-e-visao-espiritual-ii.html

quarta-feira, 18 de março de 2015

Falsos Cristos e Visão Espiritual-II












“Você não está olhando para Morris Cerullo -você está olhando para 
Deus, está olhando para Jesus”.
— Morris Cerullo (Cristianismo Em Crise-Hank Hanegraaff -Pag 10-CPAD)



“Nunca foi dito que ao que o Senhor ama, Ele enriquece, mas a quem o Senhor ama, Ele corrige” (Charles Spurgeon)


Nada pode ser tão comprometedor quanto uma afirmação tal como vimos acima. Ela vai direto ao cerne da questão do aparecimento de falsos cristos, dentro do cristianismo e não fora dele. Desde o advento da Nova Era e da metafísica do novo pensamento, que foi a força espiritual propulsora de uma nova teologia, não ortodoxa, que é a teologia da prosperidade, tem se atribuído ao homem uma natureza divina. As escrituras ensinam que o verbo se fez carne, mas nunca ensina as escrituras que a carne humana torna-se divina.
Encontramos essa afirmativa no movimento da Nova Era: "O homem é Deus quando ele se enxerga parte do Divino e aí ele começa, na sua caminhada, a adquirir os poderes divinos, entre eles, a Onipresença. E o homem deixa o egoísmo de lado, porque ele se torna um pouco Deus. E esse Deus jamais será egoísta no sentido de se preocupar apenas com o seu bem-estar."(1)
Isso não soa nada ortodoxo, do ponto de vista cristão, porém sob a ótica escatológica, isso se encaixa perfeitamente com as advertências de Cristo sobre o aparecimento de falsos cristos, porque essa perspectiva espiritual, de que o homem é um deus, entra na mesma temática do aparecimento de falsos cristos. Como entendemos isso? através do discernimento. Uma vez que João declara que o Verbo era Deus, e o Verbo se fez carne, declarar que o homem de carne, torna-se divino, é tentar subir um degrau na escala espiritual para querer comparar-se com Cristo. Se o homem pode ser deus, então ele pode ser seu próprio salvador, e se ele pode ser um salvador de si mesmo, ele se compara a Cristo. é nesse sentido que também devemos perceber o aparecimento de falsos cristos, e não somente um aparecimento constante, mas uma multiplicação de falsos cristos, que surge no cenário profético dos últimos dias, com o advento da Nova Era. Pregadores evangélicos da atualidade vem fazendo declarações semelhantes, afirmando que somos pequenos deuses.
Hanegraaff, na sua monumental obra "Cristianismo em Crise" escreveu: "Desde alvorecer dos tempos, Satanás tem se desdobrado para apresentar a mentira de que meros homens podem se tornar deuses. Seu  atraente silvo: “Sereis como Deus”, ouvido primeiramente no capítulo terceiro de Gênesis, tem reverberado através dos séculos com uma sensual 
freqüência. Ele empacota e reempacota essa mentira, no tamanho e formato necessários para fazê-la vender"(Pag 85). Essa fusão ideológica e doutrinaria acontece diante de nossos olhos, as idéias dos místicos da Nova Era se fundiram com as idéias do pensamento da metafísica da teologia da prosperidade e o resultado foi o surgimento de pregadores "cristãos evangélicos" afirmando que somos pequenos deuses.  John Avanzini, famoso tele-evangelista norte americano,  afirmava que o propósito de Deus é se duplicar na terra" Keneth Haggin, mais conhecido no Brasil, afirmava: "O crente é chamado de Cristo... Eis quem somos; somos Cristo!” (Citado em Cristianismo em Crise -Pag: 88). Dá pra perceber isso se encaixa com Mateus 24:24 e passagens paralelas? ESTAMOS DIANTE DE UM FATO IMPRESSIONANTE. muitos cristãos enxergam os falsos cristos que aparecem no mundo, e fazem vista grossa, numa cegueira sem proporções, quando os falsos cristos aparecem dentro da igreja. A falta de discernimento faz com que  isso passe de forma sutil. Tele-evangelistas brasileiros se envolvem com pregadores que foram irresponsáveis por essas heresias, mas eles são denunciados publicamente? é um fato claro, que ao invés disso, promovem seus livros e seus ensinos, de forma obscura, e poucas vozes soam, dando advertência sobre essas coisas! 
É claro que quando a bíblia adverte sobre o aparecimento de falso cristos, está fazendo uma referencia, sobre os falsos cristos, desenvolvido por uma teologia pro-mundanismo e pró-liberalismo (Tratei desse assunto na primeira parte desse estudo) e também sobre o aparecimento de falsos cristos, cuja a forma de se expressar é mais sutil, quando esses falsos cristos se apresentam como duplicatas de Deus, ou pequenas divindades ou ainda como algum tipo de Cristo, perambulando pelos arraiais da cristandade.
 Esses falsos cristos tem ressurgido no cenário mundial, de forma como podemos perceber: por uma teologia doentia, que se infiltrou de forma sorrateira na comunidade cristã, usando o neo-pentecostalismo como seu principal veiculo de propagação. Hanegraaff, faz uma excelente apologia contra a essa falsa doutrina de que somos pequenos deuses ou cristos, sobre a terra, ele então conclui: "O fato é que a Bíblia em parte alguma ensina ou confirma a doutrina dos “pequenos deuses”. Deus é infinita e eternamente exaltado acima da humanidade. E o cúmulo da arrogância pensar que os seres humanos podem ao menos se equiparar a Deus em sua espantosa santidade e majestade. Não obstante, é isso que os proponentes da teologia da Fé estão ansiosos por fazer." (Cristianismo em Crise-Pag 99). O fato mais interessante, que esses conceitos propagados e defendidos por profetas da prosperidade, também tem um alto teor escatológico, e se encaixam nas advertências das escrituras sobre o aparecimento de falsos cristos. Deveríamos ficar mais atentos, e começara estudar os fatos de dentro para fora, e não somente fora. é admirável que o nível de cegueira seja tão grande, que as pessoas de um modo geral, não conseguem detectar a apostasia e a decadência espiritual diante de seus próprios olhos, permanecendo completamente indiferente com relação a isso. Isso é uma prova real de que a apostasia tem um poder enorme de cegar suas vitimas.



Se somos sábios, não tenhamos confiança alguma em nós mesmos e coloquemos confiança no poder preservador de Deus.
John Owen









Pr Clavio Juvenal Jacinto
Igreja Evangelica Caminho da Paz

Paulo Lopes SC


terça-feira, 17 de março de 2015

Falsos Cristos e Visão Espiritual




O grande desafio nos nossos tempos é termos luz para termos discernimentos e consciência de fatos para termos sobriedade. A grande marca de um cristão é a sua sobriedade, a sua vigilância, seu preparo espiritual, para confrontar os desafios dos últimos dias. Nesse tempo de grande confusão, cada cristão tem um chamado em particular para permanecer em sua firmeza, pois que nossos dias são assinaladas por mornidão, apostasia, sinais e maravilhas de mentira, e outras coisas que aceleram o dia do juízo. Dias atrás preguei em uma igreja, em uma cidade próxima, fiz uma exposição bíblica sobre o fato e a responsabilidade do cristão ser luz. Quando Jesus afirmou que somos a luz do mundo, ele deu também as condições sobre ter eficiência em sermos aluz do mundo (Leia Mateus 5:14 a 16). O mestre e Salvador, afirmou que não podemos esconder essa luz. Olhando para a parábola dos talentos em Mateus 25, vimos como existe a possibilidade de se esconder algo que tem outra função. A luz tem a função de iluminar. Somos um povo chamado para andar por um caminho de luz, a bíblia nos ensina que a vereda do justo é como a luz da aurora que vai brilhando mais e mais até ser dia perfeito (Provérbios 4:18) Então o Cristão é chamado para andar por um caminho que amanhece, ou seja, a luz deve triunfar sobre o nosso caminho. Em I João 1:5 está escrito que Deus é luz e não existe nEle nenhuma treva, então veja que dentro de toda a revelação bíblica, somos chamados para sermos luz, andar por um caminho de luz, e servir ao SENHOR da luz. Em outra parte Cristo mesmo afirma que Ele é a luz do mundo, e quem segue Ele não andará em trevas. A luz nos concede discernimento e revelação.
 Jesus, e Paulo, ambos fazer muitas advertências sobre os últimos tempos, além das dificuldades, por causa do extremo engano, ainda haveria uma multiplicação de iniquidade e o esfriamento do amor. Todas essas implicações de decadência em sua sociedade que se parecerá muito com os tempos de Noé. 
A grande onda de falsos avivamentos que surge no cenário social, pouco tem a ver com o avivamento biblico. Hoje, lideres em trevas espirituais, entendem que o avivamento é ter igrejas cheias, pessoas que decidem frequentar a igreja e tornar-se membro de uma denominação. Ouvi ainda pouco tempo, um homem de Deus, reclamando sobre a condição dos púlpitos modernos, onde ele lamentava a omissão da verdade, por parte dos pregadores. A grande marca da pregação moderna, é fazer com que as pessoas se sintam otimistas, e tenham uma visão extremamente materialista e hedonista no mundo
Mas muito mais do que a ideia de se ter templos lotados, o verdadeiro avivamento produz uma transformação interior na vida do pecador, uma transformação radical. Apontando para certas pessoas que foram fieis candidatas para descerem as águas batismais, somente para dar numero ao rol de membros de alguma igrejas e mostrar a todos, o crescimento acelerado de tal denominação, posso concluir o estado lastimável da visão dos homens de frente de trabalho.
 O que fazer nesse mar de confusão? primeiro, temos que estar cientes de precisamos normalizar a nossa vida com os padrões da vida cristã prescritas no novo testamento. Não devemos seguir o que é conveniente, mas o que é certo. Certa vez, ajudei alguém a se erguer do monturo espiritual em que se encontrava, qualquer um podia notar nesse homem, uma chamada ministerial, porém julgou ser mais conveniente procurar tornar-se membro de uma denominação cujos templos estavam mais cheios, e hoje vejo como tal irmão sucumbiu na vida espiritual, e está praticamente com a vida cristã arrasada.
O medo das criticas. Outro fato, é muitos temem tomar decisões porque temem as criticas dos outros, preferem enfrentar a reprovação divina do que a reprovação dos homens, esses são dias de de ouvir conselhos radicais, se viver o evangelho de forma radical e procurar sempre tomar as decisões mais radicais. E isso traz muitas implicações pessoais para pessoas que não são firmes em suas convicções doutrinarias. Paulo nos admoesta em Filipenses 2:15 a enxergar as coisas de maneira correta. Como vimos essa geração? ela de fato é corrompida aos nossos olhos? então porque o nosso estilo de vida não incomoda o mundo e a sociedade a nossa volta? Todas as vezes em que o mundo para de perseguir a igreja, porque os cristãos não confrontam os valores caidos do mundo, com seus valores basicos do evangelho, o prejuizo sempre será da igreja. A tregua com o mundo joga a igreja no lamaçal da apostasia e nos baixos padrões da mornidão espiritual. A grande enfase dada ao pragmatismo, ao materialismo e ao hedonismo, nos deve fazer parar para refletirmos se em muitos lugares não ocorre um paralelo com a igreja de Laodicéia. Essa era uma igreja cristã sem Cristo, era vazia de vida, porque Jesus o caminho a  verdade e a vida não estava lá, no centro, ele estava do lado de fora batendo na porta(Apocalipse 3:20)
Talvez em tempos de grandes crises espirituais, como a nossa época, em que comer e beber é um suporte valido para identificar-nos como supostamente, uma geração abençoada. Tempo em que vimos a suntuosidade dos templos, a multiplicação de rebanhos e o alto índice de prosperidade material como sinal de aprovação divina, tudo isso é um engano perigoso, e geralmente quase sempre encontramos isso como sinal de orgulho naqueles que querem ver o exito material e no hedonismo, uma base solida para impor a sua esperança da aprovação divina.
 Mas o que vimos hoje, na maioria das igrejas evangelicas modernas? simples aceitação de um outro Cristo. Um substituto ao verdadeiro que é rejeitado. Veja bem: como se identifica que o verdadeiro Cristo não está por tras de uma denominação cristã? quando a doutrina de Cristo, tal como é descrita nos evangelhos e no novo testamento não é mais pregada. E veja bem, que a doutrina da cruz, do convite a negar-se a si mesmo, padecer por Cristo, a proclamação a santidade radical, aos jejuns e a humilhação, ao quebrantamento e a mortificação da carne, a proclamação ao arrependimento dos pecados, a denuncia severa contra o mundanismo, nem mesmo o custo do discipulado para servir verdadeiramente a Cristo é estipulada. Essa séria omissão das doutrinas de Cristo, dos púlpitos modernos, é uma prova cabal, de que Ele já foi rejeitado, substituído por outro Jesus. Um Jesus que só quer o coração, que aceita a substituição da oração por muito louvor, um cristo que aceita a sensualidade das roupas dentro dos templos, um cristo que aceita o mundanismo, um cristo que aceita a mentira, a hipocrisia,  que promove o ecumenismo, que aceita a teatralização do evangelho, que concorda com a psicologia, que enriquece, dá muito dinheiro, é uma especie de garçom celestial, que vem pra abençoar, para dar, para curar. Esse outro cristo,  é imperceptível aos olhos da maioria. E quando Jesus adverte em Mateus 24:24 que surgirão falsos Cristos e Falsos profetas que enganarão a muito, quase a maioria esmagadora, procura sempre esses falsos cristos lá no mundo, e de fato encontra muitos lá. Mas nunca tem o discernimento suficiente, para enxergar com coerência, que muitos falsos cristos estão encima dos púlpitos, pastores estão servindo a esses falsos cristos, e ele tem uma aceitação extraordinária pelos cristãos modernos. E é lógico, porquanto, o verdadeiro Cristo manda tomar uma cruz, negar-se a si mesmo, o falso lhe oferece dinheiro, conforto. Enquanto que o verdadeiro julga e peleja com justiça, o falso tolera o pecado, aceita o amaziamento e o divorcio de forma normal, aceita a erotização da moda etc. Enquanto o verdadeiro castiga e repreende a todos que amam a Ele, sim o verdadeiro Cristo odeia as falsas doutrinas, pois lemos tudo isso em Apocalipse 3:19  e 2:6. Todas as vezes que abrires o livro de Apocalipse verás o caráter do verdadeiro Cristo, leia as cartas destinadas as setes igrejas da Asia, é ali que encontramos o Verdadeiro Cristo em sua relação com as igrejas daquela época. Mas hoje, muito servem a outro Cristo, um cristo que Tolera Jezabel, um Cristo que não se importa com a nudez, um Cristo que não se importa os nicolitas, que não se importa com as doutrinas de Balaque e Balaão, porque muitos ensinam que esse cristo (o falso) é amor. Sim concordo que Cristo é amor, mas o amor de Cristo é um amor verdadeiro, e ele diz claramente que odeia as obras dos nicolaítas, por exemplo, pois o verdadeiro Cristo não ama o pecado, não ama o erro, não ama as falsas doutrinas, não ama a heresia, não ama a apostasia, não ama o mundanismo, mil vezes afirmo JESUS NÃO AMA NADA DISSO!
Olhemos para o estilo de vida dos santos na época do diluvio, Enoque era um profeta solitário, sua vida de devoção pode ser vista de forma clara. Ele era um homem solitário. Elias se sentiu solitário, pois até pensava que durante a crise espiritual do seu tempo não haveriam mais homens fiéis. Todos estavam seguindo curso da religião profanada, é um  grande desafio ser a minoria, em uma época que se acredita falsamente que a a verdade está onde existem muita gente. Não se engane! o verdadeiro Cristo esta ausente de muitas vidas, de muitos púlpitos e de muitas igrejas, e é trágico concluir que  como a igreja de Laodicéia, os que fazem parte da apostasia reinante, não sintam essa ausência, porque o verdadeiro foi substituído pelo falso, ou seja, não ficou uma ausência. A saída do verdadeiro sempre dá lugar para um falso enganar. é isso que ocorre em nossos dias.
Paulo exorta a não mover-se facilmente de nosso entendimento (II Tess 2:2) O cristianismo sempre foi um caminho estreito, jamais devemos nos esquecer das informações detalhadas de Cristo sobre as questões espirituais, no final das contas, se não olharmos para o autor e consumador da fé, sempre ficaremos com os prejuízos, e para alguns esses prejuízos serão irreversíveis. Procure viver a vida cristã de forma digna, conforme a vocação da sua chamada. Buscando sempre a excelencia, viver conforme os padrões das escrituras, procure se reunir sempre, onde a biblia está sendo pregada com pureza, onde a exposição biblica de forma coerente e real, seja uma das marcas distintas dessa igreja. 

DEUS Abençoe a todos


Pr Clavio J. Jacinto
Igreja Evangelica Caminho da Paz
Paulo Lopes SC

segunda-feira, 16 de março de 2015

TESTEMUNHAS DE JEOVÁ:UMA REFUTAÇÃO SIMPLES




Testemunhas de Jeová:Uma refutação simples

Alguns dias atrás, recebi uma visita inesperada, um moço educado, veio até minha presença e ofereceu um folheto. Aquele jovem não se identificou, apenas conversou algumas poucas palavras, oferecendo uma literatura, por perceber que eu era religioso (Com certeza, notou as bíblias encima do balcão). Fiquei intrigado, do fato dele me chamar de religioso. Há algum versículo nas escrituras que reprove a vida religiosa?
Bem, o moço era testemunha de  Jeová, ele não se identificou, mas o folheto que ele deixou, o denunciou. Primeiramente, quero deixar claro, que o verdadeiro cristianismo é uma religião. Esse papo que muitas vezes se escuta por ai, tentando supor que ser cristão não é ser religioso, é ilógico, basta ler Tiago 1:25 e 26, para termos uma simples conclusão de que existe uma religião pura e imaculada.
Mas, testemunha de Jeová? Devo eu ser uma testemunha de Jeová? Esse título, como identificação foge as regras da nova aliança, O Novo Testamento não manda você ser uma testemunha de Jeova, e conseqüentemente os cristãos e os apóstolos não eram uma delas. Vou explicar porque.
Antes quero dizer que admiro a sinceridade e a boa intenção de alguém querer me ajudar, nas coisas espirituais, também admiro a insistência e a tenacidade que as testemunhas de Jeová usam para  proclamar uma mensagem que eles supostamente crêem ser a verdade. Nisso, elas são dignas de admiração
 Porém, quero ser sincero. Ao analisar Isaias 43:10 dentro de seu contexto, vamos descobrir que a ordem afirmativa, aos judeus da antiga aliança era, que deveriam ser testemunhas do SENHOR.  Nem mesmo sei se eram para ser testemunhas de Jeová, pois que o tetragramaton era o nome de Deus revelado aos patriarcas, sendo constituídas de quatro consoantes (Daí o termo tetragramaton). AS testemunhas de Jeová ao insistirem que esse é o nome de Deus, usam um pentagramaton, ou seja cinco letras, e constituídas de duas consoantes e 3 vogais, as vogais não existiam no hebraico antigo, há uma série de problemas nessa interpretação, e não quero entrar nesse assunto, pois pretendo ver as coisas sobre outro ângulo.
Testemunhas de Jeová ou testemunhas de Jesus? O que o Novo Testamento ensina? O que o cristão, na nova aliança deve ser? Vou responder isso, e minha meta, não é ofender ninguém, desejo apenas fazer isso, a titulo de esclarecimento. Vamos analisar o Novo Testamento, os escritos da nova aliança, e então podemos concluir com sabedoria e discernimento, o que de fato, Deus quer que sejamos.

Primeiro: Leiamos Atos 1:8, ali está a grande promessa de Cristo, para recebermos poder, em algumas traduções “virtude”, com que propósito somos convocados a recebermos o poder prometido por Cristo? Jesus mesmo responde: “Para serdes minhas testemunhas”. Ora, o texto é claro! Nunca podemos subestimar as palavras de Cristo, fechar os olhos para uma evidencia tão clara, pronunciadas pelos lábios do salvador, quando Ele afirma, que o recebimento do poder prometido em Atos 1:8 tinha o claro propósito de capacitar os cristãos a se tornarem testemunhas de Jesus. O texto é claro, evidente, não há como fazer driblagens teológicos, ou usar argumentos vazios, ignorar a sentença de Cristo, é ignorar seus próprios ensinos. Somos convocados a sermos testemunhas de Cristo, é ele que deve ser proclamado, assim como o judeu é convocado a se esconder no esconderijo do altíssimo em Salmos 91:1(O Deus revelado no antigo Testamento) o Cristão é chamado a se esconder em Cristo (Col 3:3). Jesus sendo tão claro, em afirmar que receberemos o poder para sermos testemunhas dEle, não podemos fugir dessa nobre convocação, pois que de fato somos chamados de cristãos, por sermos representantes e embaixadores dEle aqui nesse mundo. Outra vez repito, Jesus nos chama para sermos suas testemunhas, isso mesmo, cada cristão é convocado para receber o poder do espírito Santo, para ser TESTEMUNHA DE JESUS.
Segundo. Apocalipse 2:13. Pois bem, uma vez que Atos dos Apóstolos nos convoca a sermos testemunhas de Jesus Cristo, vimos a descrição de um seguidor do nazareno em Apocalipse 2:13. Antipas foi contemporâneo dos apóstolos, foi martirizado na época do imperador romano Domiciano, aproximadamente no ano de 83 da nossa era. Ele é chamado por Cristo de minha testemunha. Então de quem Antipas era testemunha? É claro! Lógico! De Cristo. Jesus diz que Antipas era testemunha dEle. Isso significa que os cristãos primitivos eram testemunhas de Jesus Cristo. Ignorar um fato, não muda a realidade. Antipas não era testemunha de Jeová, era testemunha de Jesus Cristo, é isso que o próprio Cristo diz, é isso que o livro de Revelação revela, os cristãos primitivos eram testemunhas de Jesus, essa é a descrição que o Novo Testamento faz sobre um seguidor fiel do cristianismo. Antipas estava sofrendo o martírio por causa fé, numa época de perseguição ferrenha, e por isso é chamado pelo próprio Salvador de Testemunha dEle,  por isso insisto nessa nobre certeza, nessa grande verdade, que Jesus Cristo chamou Antipas de sua testemunha, então a conclusão clara que teremos é que Antipas era Testemunha de Jesus Cristo. Ninguém jamais pode negar essa fato tão claro.
Terceiro. Estamos aqui falando sobre o texto e o contexto geral das escrituras do Novo Testamento, partindo de Atos 1:8 onde o próprio Senhor Jesus declara que os cristãos receberiam poder para serem testemunhas dEle, a partir de Atos 2, após o dia de pentecostes, vimos como os cristãos testemunharam com poder, foram eles, fiéis testemunhas de Cristo. E porque? Porque não existe nenhum outro nome, preste atenção: NENHUM OUTRO NOME dado entre os homens, pelo qual importa sejamos salvo (Atos 4:12) será que podemos duvidar de mais alguma coisa? Veja você mesmo que o livro de Revelação(Apocalipse) é muito esclarecedor. Encontramos em Apocalipse 17 a queda da babilônia, a babilônia é representada por uma mulher embriagada, com o sangue dos santos e com o sangue das Testemunhas de Jesus. Isso mesmo! TESTEMUNHAS DE JESUS!. Porque devemos então resistir ao que está evidente?  Os cristãos primitivos são identificados como testemunhas de Jesus Cristo. Isso é uma fato, inegável em todo o Novo Testamento

Quarto. Os cristãos eram testemunhas de Jesus e quem eles anunciavam pelas casas. A Biblia diz que eles não cessavam de ensinar e de anunciar a Cristo (Atos 5:42) o nome proclamado, o nome anunciado, o nome promovido era JESUS CRISTO. Não era outro nome, era CRISTO. Porque Cristo? Ora a declaração apostólica, é conclusiva sobre esse assunto “E nós somos TESTEMUNHAS de todas as coisas que fez, ao qual mataram pendurando-o no madeiro” (Atos 10:39). Eles eram testemunhas de Cristo, porque esse era o dever de cada cristão, anunciar o nome de Cristo E a ressurreição. Esse era  o ministério de Paulo, ele confrontou os gregos em certa ocasião, e as escrituras do Novo Testamento afirmam que Paulo ANUNCIAVA a JESUS E a ressurreição (Atos 17:18)

Uma palavra final: Oro para que o Senhor faça cada leitor entender os fatos aqui descritos, comprovados dentro do Novo Testamento, que os cristãos tinham um nome para proclamar, e esse nome era o SENHOR JESUS CRISTO, e também eram testemunhas de uma pessoa e essa pessoa era JESUS CRISTO. Ignorar isso é negar os ensinos do Novo Testamento. Que Deus possa nos abençoar e que o nome de Cristo possa ser glorificado em nossa vida.


Clavio Juvenal Jacinto

sexta-feira, 13 de março de 2015

Discernimento-Como Identificar Falsos Pregadores




"Amados, não creiais, a todo espirito..." I Joao 4:1

Discernimento e visão espiritual equilibrada

1-Toda a pregação que diminui a sua paixão de ir para o céu, não tem procedência divina
2-Toda pregação que dá mais ênfase ao materialismo do que a santidade, abordando a satisfação egoísta do homem é danosa e perigosa.
3-Todo o pregador que evita falar as verdades das escrituras, para não ofender os ouvintes, impulsiona os impenitentes a ofenderem mais a Deus com seus pecados.
4-Se você se impressiona mais com barulho do que com exposição das escrituras, você é espiritualmente enfermo
5- O espírito Santo nunca vai contradizer pela boca de um pregador, um ensino que Ele mesmo inspirou nas sagradas escrituras.
6-Aceitar um ensino confuso sem levá-lo a luz da Palavra de Deus, para ter  uma certeza do apoio geral da revelação das escrituras, é ter cumplicidade com a apostasia.
7-Deus não usa como arauto da proclamação da verdade, aqueles que não trilham o caminho da piedade (Como oração e estudo bíblico de forma intensa)não optam pela renuncia do egoísmo, não amam a santidade, não buscam desesperadamente a consagração, e não prezam por um caráter integro.
8- Quando um pregador não tem unção do alto, ele tem disponíveis duas outras opções, pregar sermões mortos, ou promover o fogo estranho.
9- Pregadores que amam de verdade, as almas, lutam para que nenhum tipo de engano, venha iludir seus ouvintes, porque sabe que está lidando com questões eternas, e os prejuízos serão irreparáveis para os enganados. Já os falsos pregadores, estão interessados no dinheiro, no êxito pessoal, nos aplausos, no status, na fama e no sucesso religioso.
10- Pregadores que cobram pra pregar, são pregadores vendidos, não podem falar da graça de Deus, porque o verdadeiro evangelho não tem preço, já o evangelho que pode ser vendido, não tem qualquer valor.
11- Se tiver que escolher entre o verdadeiro evangelho e a solidão e o falso com a multidão, o falso pregador sempre prefere o ultimo
12- Quem sustenta os falos pregadores são os falsos cristãos que não amam a verdade, e os enganados que não tem discernimento, porque os verdadeiros cristãos rejeitam e denunciam sempre os que se vestem de lobos, para enganar as ovelhas.

"Tanto na igreja quanto no mundo, é possível que nunca tenha havido tanta falta de discernimento espiritual, como hoje em dia"    Douglas Groothuis. Ph. D.




Clavio Juvenal Jacinto
Igreja Evangelica Caminho da Paz

claviojj@gmail.com

Footer Left Content